6 dicas de harmonização com vinho do Porto!


6 dicas de harmonização com vinho do Porto!

Na enogastronomia, harmonizar significa combinar as características dos vinhos com os sabores dos alimentos. O objetivo é chegar à melhor parceria possível, de forma que a experiência inspire e agrade nossos sentidos. Se você aprecia sabores intensos (e deliciosos), deve aprender mais sobre harmonização com vinho do Porto.

O vinho do Porto se distingue de outros produtos por fermentar parcialmente os açúcares das uvas, preservando um gosto mais adocicado e, por incrível que pareça, mais alcoólico, até porque, embora as leveduras não tenham consumido todo o açúcar natural das uvas, elas são inativadas pela adição de álcool vínico. Esse processo é chamado de fortificação, resultando em exemplares muito elegantes e que podem ser servidos em diversas ocasiões especiais, por isso, não pode faltar em sua adega.

Experimentar combinações diferentes faz parte do aprendizado sobre enogastronomia, lembrando que o gosto pessoal será sempre importante. Para não deixar dúvidas, preparamos este artigo com dicas para uma boa harmonização com vinhos do Porto. Boa leitura!

1. Vintage

Vintage é um dos vinhos do Porto mais prestigiados. São elaborados com as melhores safras, o que garante mais corpo, complexidade e elegância à bebida. Essa variedade permanece em balseiros (barris de grande porte) ou barricas por cerca de dois anos, até ser engarrafado.

O vinho do Porto Vintage não é filtrado, apresenta o ano da colheita no rótulo e evolui por muitos anos — podendo chegar a várias décadas. São vinhos que apresentam diversas camadas de aromas, sendo eleito como um dos melhores estilos de vinhos do Porto.

O ideal é degustá-los logo após abrir a garrafa. Devido às suas características sensoriais mais sensíveis. A dica aqui é harmonizar uma taça de Porto Vintage com frutas secas, como figo, tâmara e damasco, além de nozes e queijos azuis, como gorgonzola ou roquefort.

Vintage

Clique na imagem acima e confira mais detalhes!

2. Tawny

O nome Tawny significa “aloirado”, pois é caracterizado por evoluir alguns anos em contato com a madeira, afetando diretamente não apenas a coloração do produto, deixando-a mais amarronzada, mas também seus aromas. De maneira geral, quando o Porto Tawny é comercializado, já está apto para o consumo, não sendo indicado armazená-lo por mais tempo.

O contato com a madeira e o oxigênio é o principal fator que faz o vinho adquirir uma cor próxima ao âmbar. O sabor se aproxima ao de nozes, amêndoas e outros frutos secos. A harmonização pode ser feita com queijos maturados, mix de nuts ou sobremesas à base de castanhas.

Existem, também, Portos Tawny com indicação de idade, que podem ter mais de 40 anos. Esse número faz referência à idade média dos vinhos que compõe o blend, pois, caso você não saiba, Vinhos do Porto são compostos por várias uvas. O mais curioso desse processo é que produtos mais velhos se beneficiam ao serem misturados com os mais novos, e isso garante mais frescor e intensidade aromática ao produto final.

30 YEARS OLD TAWNY KOPKE
Clique na imagem acima e confira mais detalhes!

Dica: Veja aqui tudo o que você precisa saber sobre o vinho do Porto

3. Ruby

Esses vinhos têm a cor mais intensa e são amadurecidos em balseiros por menos tempo que os Tawny, o que mantém uma coloração mais viva. São uma mistura de safras e não apresentam data de colheita no rótulo. Geralmente são filtrados e não necessitam obrigatoriamente de envelhecimento em garrafa.

Por ser um vinho jovem, com doçura pronunciada e caráter frutado, o Porto Ruby combina muito bem com queijos salgados — como os do tipo gorgonzola e parmesão. A bebida também apresenta notas de chocolate, criando um vínculo com sobremesas à base dessa iguaria.

PORTO KOPKE FINE RUBY
Clique na imagem acima e confira mais detalhes!

4. Porto Branco

Apesar de pouco conhecido no Brasil, o vinho do Porto Branco é ótimo para drinks e muito versátil à mesa. Ele é elaborado com uvas brancas e apresenta doçura variável, que vai desde os muito doces (mais de 130 g/l de açúcar), passando pelos doces, meio secos, até os extra secos (menos de 40g/l).

O teor alcoólico varia entre 16% a 22%. Em geral, são vinhos jovens, frescos e não passam por cascos, sendo elaborados em cubas de inox que mantêm o seu frescor. Contudo, existem categorias mais raras de Porto branco que se beneficiam da passagem pode barricas, como o Colheita Branco e o Tawny Branco com indicação de idade.

Os mais secos combinam bem com amêndoas, salmão defumado, frutas frescas, sorvete de baunilha ou creme, queijos curados e azeitonas. Os doces acompanham bem gaspachos e combinações de frutas com embutidos, como melão com presunto cru.

Confira a lista de vinhos do porto da Famiglia Valduga!

Adquira os vinhos da Famiglia

5. Colheita

Essa variedade tem estilo semelhante ao Tawnys, porém, são vinhos elaborados com uma única safra. O correto é que permaneçam, no mínimo, sete anos em cascos, mas, em geral, são envelhecidos por muitos anos.

São vinhos de evolução lenta e evaporação contínua, que precisam ser repostos com frações da mesma safra. Ao longo dos anos, seus aromas e sabores evoluem, originando diferentes estilos de Colheitas.

Como passam por um estágio tão longo em madeira e ambiente oxidativo, essas bebidas vão perdendo a cor violácea aos poucos, adquirindo aromas terciários de especiarias e frutas secas, aumentando a sensação de doçura, tornando-se mais complexos e untuosos.

Esse tipo de vinho do Porto harmoniza muito bem com diferentes tipos de carne vermelhas, como as bovinas e suínas. Molhos cremosos e agridoces ficam excelentes com uma boa taça de Colheita.

6. LBV (Late Bottled Vintage)

O LBV (Late Bottled Vintage) é um vinho do Porto em ascensão, com boa relação entre qualidade e preço. Além do mais, seu estilo mais frutado o aproxima as aromas dos vinhos tintos tranquilos. Embora lembre um Ruby, acaba sendo engarrafado alguns anos após o período usual.

Essa categoria amadurece em grandes balseiros e são engarrafados entre 4 a 6 anos após a colheita. Assim, a bebida mantém a cor viva e o caráter frutado. A longa média estadia em madeira faz com que o vinho chegue com taninos ainda firmes e reativos.

Dica: Vinhos de sobremesa: quais são os mais indicados?

Devido às suas características, são vinhos do Porto que harmonizam bem com sobremesas a base de chocolate, frutas vermelhas e queijos salgados.

Você pode servir os alimentos sugeridos aqui em forma de petiscos ou combinados em um prato principal. O ideal é que a preparação esteja equilibrada, sem excesso de sal, acidez, açúcar ou amargor. O equilíbrio dos condimentos é fundamental para que a harmonização com vinho do Porto seja ainda melhor. E, caso ainda tenha dúvida, lembre que a bebida sempre deverá ser mais doce que a comida, para que haja o tão buscado equilíbrio.

Quer servir um bom vinho do Porto em seu próximo jantar ou evento? Então, conheça as excelentes opções que a Famiglia Valduga oferece para você!

Adquira os vinhos da Famiglia




Por
22/08/2019

Enólogo e Embaixador da Marca.


Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!

Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!