Uva riesling: conheça as características e os vinhos que ela produz


Uva riesling: conheça as características e os vinhos que ela produz

Conhecida no mundo todo como uma das melhores castas para vinho branco, a uva Riesling possui uma forte ligação com a história do mundo dos vinhos e com a cultura de várias regiões. Deixando-a ainda mais interessante, saiba que ela já teve a sua reputação rebaixada por processos de elaboração inadequados

Porém, desfeito o engano, o seu reconhecimento é crescente, principalmente por resultar em bebidas intensamente aromáticas e indiscutivelmente únicas, sendo reconhecida pelo seu aroma desde o princípio da degustação. Quer aprender mais em relação a essa uva tão importante na enocultura mundial? Continue a leitura, pois a Riesling será nossa "estrela" neste post. Confira!

A origem da uva Riesling

Protagonista dos vinhedos alemães, e isso não é por acaso, já que a sua origem é a Alemanha. Existem registros do seu cultivo desde o século XV, sendo o mais famoso e aceito pelos estudiosos como o de um inventário pertencente a um armazém, no ano de 1435, em que relatava a presença de uma uva chamada Rießlingen.

Assim, esse nome aparecia em diversos documentos da época até que em 1552 surgiu a primeira citação utilizando o nome que conhecemos hoje, Riesling. Dizem também que ela já era cultivada pelos romanos nos vales do Mosel e Reno.

Da má fama ao sucesso

Por um tempo, os próprios alemães mancharam a casta produzindo vinhos de baixa qualidade e extremamente doces. Isso fez com que por um momento na história da uva Riesling ela fosse considerada uma variedade pouco aproveitável.

Dica: Conheça quais são as 13 uvas mais tradicionais na produção de vinho

Felizmente, essa má impressão passou e a casta alcançou o seu auge com vinhos renomados e, muitos deles, de elevado valor agregado, como os produzidos na região da Alsácia, localizada a leste da França, nas proximidades entre a fronteira com a Alemanha. No estado americano de Washington, ela também se adaptou muito bem e produz vinhos de grande tipicidade e qualidade.

O cultivo da casta

Para começarmos a falar da videira que origina a uva Riesling, é importante ressaltar que não devemos confundir a Riesling (Renano) com a Riesling Itálico, também conhecida como Emerald Riesling, pois as duas nada têm a ver com a uva em questão. Dito isso, ela é uma variedade de uva que se adapta a diferentes climas e regiões.

Por esse motivo, é cultivada desde a gélida Alemanha até no calor da Austrália. No entanto, o seu melhor desenvolvimento é em temperaturas moderadas a frias, pois o calor excessivo faz com que a maturação da uva seja abrupta, fazendo com que sua acidez seja perdida, bem como a delicadeza de seus aromas

As regiões produtoras pelo mundo

A Alemanha é, sem dúvidas, o maior produtor de Riesling do mundo, fornecendo produtos com diversos estilos. Desde os jovens até os mais longevos, podendo apresentar-se secos e intensos ou mesmo mais doces e delicados, entretanto, são incrivelmente equilibrados pela firme acidez, onde o Mosel é a região que mais se destaca.

Dica: Degustação de vinhos: passo a passo para uma experiência incrível

Outros países que se renderam à produção da uva Riesling são França, Canadá, Áustria e Austrália. A região de Alsácia, na França, é a segunda maior produtora do vinho dessa casta no mundo.

Já os vinhos feitos na Áustria, especialmente em Wachau, Kremstal e Kamptal, são grandes concorrentes dos franceses e alemães pela sua excelente qualidade. Na Austrália, apesar da temperatura mais quente, a uva Riesling também é destaque nas localidades de Clare Valley e Eden Valley. Por fim, no Canadá, que tem o clima mais frio como o da Alemanha, produz-se o Ice Wine — vinho doce feito com a uva congelada.

As características da uva

Ela é uma variedade branca com cachos médios e bagos pequenos e delicados, e sua coloração é em tom verde-amarelado. Contudo, possui um ciclo longo de maturação, podendo sofrer com chuvas que afetam diretamente a sua qualidade. 

A acidez pronunciada é principal característica de seus exemplares, proporcionando sabores intensos e o mais importante, longevidade, o que dificilmente ocorre com a maior parte dos vinhos brancos.

Os vinhos produzidos pela uva Riesling

Os vinhos Riesling são um dos mais aromáticos do mundo, tanto no que se refere a intensidade, mas também a complexidade, ou seja, várias famílias aromáticas podem ser percebidas. Mais uma particularidade é que seus aromas são distintos e únicos, favorecendo a tipicidade da casta, destacando-a de todas as outras. 

Os vinhos são brilhantes, onde a acidez auxilia nessa característica. Quando jovens, são muito claros, possuindo uma coloração que tendencia ao amarelo-esverdeado, já com a evolução, tonalidades douradas vão ganhando destaque. Em relação aos seus aromas, as notas frutadas se destacam, lembrando abacaxipêssego e pera, mas são as frutas cítricas que predominam, sendo lima, limão siciliano e casca de laranja as mais facilmente perceptíveis. Contudo, os aromas que mais diferem a Riesling das outras uvas são os que chamamos de "minerais", podendo ser descritos como pedra de isqueiro, grafite, sílex, petróleo, etc.

Dica: Avaliação de vinhos: você sabe o que é a escala Robert Parker?

É um vinho geralmente pouco alcoólico e com acidez elevada. Ao contrário da maioria dos brancos, é um exemplar que envelhece muito bem na garrafa. Aliás, o envelhecimento em barris de carvalho não é recomendado justamente para não mascarar seus aromas característicos. 

Essa casta é excelente para a produção de varietais, ou seja, vinhos elaborados 100% com a uva Riesling. No entanto, também comporta os blends com outras variedades de maneira elegante e muito satisfatória.

A uva Riesling é extremamente versátil. Com ela é possível elaborar vinhos secos, semi secos, suaves e, até mesmo, os de sobremesa dependendo do processo pelo qual ela é submetida.

Secos

Os vinhos secos são elaborados a partir de uvas colhidas em plena maturação. Porém, como os açúcares da uva são consumidos pelas leveduras durante o processo de fermentação alcoólica, a bebida demonstra-se seca, ou seja, sem açúcar

Doces

Naturalmente, a uva Riesling pode apresentar excelente concentração de açúcares. Sendo assim, há formas de preservar parte desse açúcar na bebida, resultando em vinhos de sobremesa muito interessantes

Para isso, são usadas basicamente três técnicas: a do congelamento das bagas pelo frio intenso (Ice Wine), pela desidratação natural da fruta ainda na planta (Late Harvest) e também pela ação de um fungo chamado Botrytis cinerea (Podridão Nobre), onde o mesmo rompe a casca das uvas, fazendo com que parte da água evapore. 

Se quiser saber mais sobre todos os tipos de vinho e como harmonizá-los, confira no nosso Manual Gastronômico!

Saiba tudo sobre harmonização de vinhos

A harmonização dos vinhos

Como vimos, a uva Riesling dá origem a vinhos exuberantes, extremamente aromáticos e versáteis. A recomendação é que seja servido frio, numa temperatura entre 6° e 8°C.

Embora seja uma bebida excelente para se degustar sozinha, a harmonização do vinho Riesling deve ressaltar os seus aromas. Por conta da acidez, vai bem com comidas picantes, como as indianas e as asiáticas, além de frutos do mar com sabor intenso. 

Outra opção é acompanhá-lo de carnes brancas e saladas diversas. Já o de sobremesa casa perfeitamente com strudel de maçã ou aperitivos, como queijos fortes.

A uva Riesling origina vinhos brancos saborosos e intensamente aromáticos. Sejam eles secos ou doces, algum estilo irá agradar o seu paladar. Por ser uma casta versátil e muito aromática, ganha cada vez mais admiradores, até mesmo os que preferem vinhos tintos

Você conhece as diversas castas de uvas que existem? Então, leia o nosso post que fala sobre tudo o que precisa saber sobre os tipos de uvas e não se esqueça de servir uma taça de vinho para acompanhar a leitura. 




Por
04/04/2019

Enólogo e Embaixador da Marca.


Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!

Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!