Guia completo para montar uma adega de vinhos em sua casa


Guia completo para montar uma adega de vinhos em sua casa

O vinho é uma das bebidas mais populares de todo o mundo e faz parte da sociedade e da economia de diversos povos. Toda sua concepção, desde o cultivo da vinha, até a criação de um rótulo demanda muita atenção e cuidado. O que poucas pessoas sabem, no entanto, é que o condicionamento das garrafas também é essencial — é aí que entram as adegas de vinhos.

Guardar as bebidas em um lugar adequado é fundamental para preservar as características do vinho e não ocasionar a perdas sensoriais. Felizmente, uma boa adega de vinhos não fica reservada apenas às grandes vinícolas, sendo perfeitamente possível criar uma em sua própria casa!

Não faz ideia de como fazer isso? Não sabe por onde começar? Não se preocupe! Pensando nas principais dúvidas que surgem sobre esse tema, criamos um artigo super completo com as informações necessárias para que você possa começar a armazenar seus vinhos preferidos em sua adega particular. Boa leitura!

O que é uma adega de vinhos?

Uma adega de vinho é o ambiente climaticamente controlado e perfeitamente adequado para armazenar os mais diversos estilos da bebida, seja com o objetivo de envelhecê-los ou apenas para garantir que as suas características sejam mantidas de maneira eficaz até o momento da degustação.

Embora normalmente as adegas sejam reservadas às vinícolas, restaurantes ou lojas especializadas, nada impede que elas sejam construídas em casas de apreciadores de vinho ao redor do mundo. Ainda que tenham proporções obviamente reduzidas, suas funções serão as mesmas.

As adegas de vinho podem ser feitas com o objetivo de armazenar as garrafas por um curto período, mantendo-as em uma temperatura ideal ou para guardá-las por longos anos. Elas, por exemplo, levam outros fatores importantes em consideração, como o controle da umidade, a incidência de luz e a vibração, que pode afetar negativamente os produtos.

Seu tamanho pode variar desde um pequeno espaço em um armário no cantinho da sala, ou para um cômodo inteiro reservado à construção da adega. Isso, é claro, dependerá do espaço que você tem disponível e do seu entusiasmo para reservar e até colecionar exemplares. 

Dica: Como as características da garrafa influenciam no vinho?

Para que serve uma adega de vinhos?

Os pontos anteriores de nossa conversa já nos dão uma boa ideia dos principais propósitos de uma adega de vinhos. No entanto, antes de nos aprofundarmos nesse tema, é interessante conhecer um pouco da história da criação desse tipo de ferramenta.

A história de sua criação é um pouco incerta, principalmente por conta da falta de documentações históricas sobre as adegas. Alguns historiadores, no entanto, acreditam que o costume de armazenar os vinhos é muito antigo, remetendo ao ano 5.000 a.C.

Algumas civilizações antigas costumavam deixar ânforas com o líquido obtido por meio do esmagamento das frutas, hoje denominado como mosto, enterrados no solo por meses, até que a primavera chegasse. Em seguida, os vinhos eram trocados de recipientes e enterrados novamente, por mais um bom tempo, até que o responsável pela sua elaboração determinasse qual o momento ideal para o consumo. 

Felizmente, as técnicas foram aprimoradas e hoje em dia é possível armazenar garrafas em ambientes específicos, conhecidos como as adegas. Assim como o leite, por exemplo, os vinhos podem estragar, ainda que de maneira muito diferente. Alguns fatores podem fazer com que suas características sejam alteradas e a bebida perca sua qualidade.

Alguns dos fatores que interferem diretamente na preservação dos vinhos são a temperatura, a umidade e a luminosidade. Esses pontos são devidamente controlados com as adegas, que proporcionam as condições perfeitas para que a bebida se mantenha perfeita por muito mais tempo e evolua de maneira harmoniosa. 

Quais são os principais tipos de adegas?

O primeiro passo para compreender como montar uma adega em casa é saber um pouco sobre os seus principais tipos. Confira, a seguir, as variedades mais comuns no mundo da enologia.

Adega passiva

Esse tipo de adega é um dos mais comuns, devido ao fato de não necessitar de muitas especificidades ou modernidades para funcionar adequadamente. Como o seu próprio nome já indica, a adega passiva funciona praticamente por si mesma, apenas com a sua própria estrutura.

Como principal representante desse gênero, podemos citar as tradicionais caves (termo derivado de caverna, em tradução livre) francesas. Essa adega imita realmente a estrutura de uma caverna ou porão, sendo normalmente construída abaixo do nível da casa e com as condições adequadas de escuridão e umidade.

Elas são uma boa opção para pessoas que moram nos mais diversas regiões, pois o ambiente subterrâneo ficara protegido dos fatores externos. E para quem têm uma coleção com muitos exemplares de garrafas esse modelo, com certeza, é a melhor opção, já que a adega passiva permite abrigar muitos vinhos de uma só vez (podendo, por exemplo, ocupar um cômodo inteiro).

Dica: Tudo sobre vinhos: conheça os tipos de rolhas e seus efeitos

Adega termoelétrica

Como seu próprio nome já indica, as adegas termoelétricas funcionam com uma tecnologia a mais do que as passivas. Ela é um exemplar da família das adegas climatizadas e utiliza a eletricidade para manter o interior do ambiente com as condições necessárias para preservar o vinho.

Ela é mais indicada para aquelas pessoas que moram em locais com climas intermediários, não tão quentes e nem tão frios, já que esse tipo de adega não oferece um resfriamento muito eficaz. Seu funcionamento ocorre com a troca de calor com o lado de fora e a utilização de energia para mantê-la funcionando é mínima.

Por isso, ela não é recomendada para pessoas que habitam em regiões muito quentes, onde a necessidade de resfriamento será muito maior, demandando maior gasto energético. Para esses indivíduos, a melhor opção é a adega que veremos a seguir. Confira!

Adega com compressor

Se você tem vinhos caros em sua coleção ou mora em um local muito quente, as adegas com compressor são as ideais para suprir todas as suas necessidades. No entanto, isso vem com um custo em energia, já que é necessário uma quantidade muito maior de força para resfriar o interior do ambiente.

Com essa tecnologia, você pode até mesmo determinar temperaturas diferentes para pontos distintos da adega, fazendo com que seja possível adaptar a temperatura para as necessidades de cada sessão de garrafas.

Contudo, existe um ponto que devemos considerar, o barulho. O som alto é causado pelo compressor, ferramenta responsável pela refrigeração do ambiente. E se compararmos com as outras adegas citadas, a interferência sonora é praticamente inexistente. 

Como montar uma adega de vinhos em casa?

Colecionar vinhos pode ser um hobby e tanto, e armazená-los em uma bela adega pode ser ainda mais divertido. A maravilhosa visão da madeira reluzente e das garrafas organizadas no ambiente agrada até mesmo íntimos do mundo do vinho.

No entanto, antes de se deliciar com essa visão e com a posterior degustação dos vinhos de sua coleção, é necessário montar a adega ideal em sua casa, certo? Pensando nisso, preparamos algumas dicas essenciais de pontos que não podem ficar de fora dessa construção.

Escolha o local adequado

A escolha do local perfeito é o primeiro ponto que deve ser levado em consideração antes do início da criação de sua adega. Como já mencionamos em nossa conversa, as especificidades desse ambiente são muito democráticas e é possível escolher diversos locais para alocar suas garrafas.

Se você é detém uma grande coleção de vinhos ou pretende adquirir muitos exemplares da bebida, é possível escolher um cômodo específico para transformá-lo em uma adega. Ele pode ser próximo às principais áreas de sua casa ou mais afastado, especialmente no caso de a termorregulação ser feita com um compressor.

Por outro lado, o cantinho de uma parede de sua sala também funcionará tão bem quanto, caso o seu espaço seja restrito e as suas ambições sejam mais comedidas. Além disso, esse tipo de adega funciona como uma excelente decoração para qualquer ambiente.

Em qualquer um dos casos, no entanto, é fundamental atentar às características fundamentais de uma adega. O ambiente não pode receber luz direta do sol e não pode ser extremamente quente, por exemplo. Ao longo das dicas, observaremos mais especificidades que auxiliarão na escolha do local perfeito para a sua adega!

Confira os melhores rótulos para compor sua adega!
Adquira os vinhos da Famiglia

Determine a madeira que será utilizada

Você provavelmente já percebeu que os vinhos estão geralmente condicionados próximos à madeiras, certo? Isso não é aleatório e as razões vão muito além da estética — que, por sinal, é algo muito presente, já que as adegas são extremamente bonitas e embelezam qualquer ambiente.

O motivo para isso é que a madeira é um material que permite a manutenção da temperatura em níveis adequados. É por isso, por exemplo, que casas em locais mais frios são construídas inteiramente com esse tipo de matéria prima, que permite que o ambiente interno fique sempre confortável para os moradores.

Uma das madeiras mais populares para a construção de adegas de vinho em casas é o mogno. Esse material é muito resistente, bonito e ideal para manter a temperatura das garrafas de vinho dentro do recomendado, preservando a qualidade do produto e as suas principais características.

Outras boas opções são as madeiras de pinheiro (que têm uma coloração mais clara e delicada), de sapele (que têm uma cor muito forte e meio avermelhada) e o carvalho (uma das madeiras mais resistentes que se tem notícia). O cedro e a peroba também podem ser utilizados, e qualquer uma delas garantirá um ambiente bonito e seguro para suas preciosas garrafas.

Evite a trepidação exagerada

Qualquer alteração abrupta ou rápida, seja de temperatura ou de movimentação, pode danificar as garrafas e o seu conteúdo e forma potencialmente permanente. Por isso, além de ficar muito atento aos diversos pontos que conversamos ao longo do texto, é essencial prestar atenção também na trepidação do local.

A estabilidade é um fator importante para garantir que nada de errado aconteça com seus vinhos e que eles se mantenham intactos por muitos anos. Trepidações, ainda que sejam aparentemente muito sutis, podem causar pequenas rachaduras que permitem a entrada de ar ou até mesmo podem fazer com que a sua garrafa quebre.

Outros problemas causados pela movimentação é a alteração da pressão interna da garrafa, especialmente quando associada à flutuações na temperatura. Esse tipo de acontecimento pode fazer com que a rolha seja empurrada para fora, estragando o conteúdo.

Dica: Guia de compra de vinhos: como não errar na escolha?

Além disso, não é incomum que essas trepidações alterem o sabor do vinho, fazendo com que as prováveis futuras borras da bebida se misturem interferindo de maneira desagradável no paladar. Por isso, é importante fazer uma fundação firme para evitar esses problemas.

Fique de olho na iluminação necessária

Um dos fatores que pode influenciar negativamente na conservação dos vinhos é a iluminação. É por essa razão que as garrafas da maior parte das bebidas são escuras, com o objetivo de bloquear os raios luminosos. Mas afinal, por que razão isso acontece? Qual é a interferência que a luz causa no vinho?

De maneira simplificada, podemos afirmar que os raios luminosos causam, a longo prazo, alterações químicas na bebida que está no interior das garrafas. Essas mudanças fazem com que o sabor seja alterado, além de várias outras consequências que podem acarretar na perda completa do produto.

A luz, especialmente a luz solar, pode representar um problema em potencial para armazenamento em longo prazo. Os raios UV (ultravioletas) do sol podem degradar e envelhecer prematuramente o vinho, fazendo com que o conteúdo precise até mesmo ser descartado.

Por isso, é recomendado que o ambiente da adega de vinhos seja o mais escuro possível, sem a forte presença de luz, seja ela solar ou artificial. Obviamente é necessário iluminar a área para o seu manejo e limpeza (preferencialmente com lâmpadas fluorescentes), mas que preferencialmente não incidam diretamente nas garrafas, caso contrário deve ser apagada após os afazeres serem completados.

Não descuide da umidade

Uma das partes mais importantes da embalagem do vinho é, sem dúvidas, a rolha que veda a garrafa. Infelizmente, essa ferramenta é muitas vezes afetada quando não há controle da umidade, esta sendo importante para garantir a integridade dessa peça tão delicada.

Por ser feita de cortiça, ou seja, a área mais externa do tronco de determinadas árvores, é necessário controlar a umidade de maneira adequada para evitar problemas em sua estrutura. Quando a umidade está muito alta, por exemplo, a rolha pode criar fungos que a danificam.

Já em casos de pouca umidade, o produto pode ficar extremamente seco e rachar, fazendo com que o oxigênio entre na garrafa e oxide o vinho que está em seu interior, prejudicando o produto, que pode até mesmo ser perdido definitivamente. Uma dica é sempre armazenar os vinhos na posição horizontal, para que a rolha se mantenha sempre umedecida.

De maneira geral, seus exemplares devem ser armazenados em uma umidade média de 70%. Apesar disso, níveis considerados seguros variam entre 50% e 80%, o que faz com que problemas relacionados a esse fator sejam muito incomuns. De toda maneira, é possível utilizar umidificadores caso você more em uma região muito seca.

Tenha em sua adega os rótulos da Famiglia Valduga!

Adquira os vinhos da Famiglia

Adquira os acessórios ideais

Agora que você já sabe quais são as madeiras utilizadas e algumas outras considerações importantíssimas sobre a construção de uma adega para vinhos, fica a dúvida: o que colocar dentro desse ambiente ou próximo a ele? Quais são os acessórios e a mobília necessária para abrigar a minha coleção?

O primeiro ponto a ser considerado é o suporte que será utilizado para a colocação das garrafas. Como mencionamos, é interessante que as garrafas sejam dispostas horizontalmente, para garantir a melhor preservação do produto. Por isso, as prateleiras que as abrigarão devem ter uma estrutura que permita esse condicionamento.

Os modelos mais comuns são os favos de madeira, que se parecem muito com a estrutura de uma colmeia de abelhas, ou as barras horizontais sobre as quais são posicionadas as garrafas. No caso de adegas climatizadas, o aço inox também pode ser utilizado para a construção dessas estruturas.

Por fim, os acessórios fundamentais para uma adega de vinhos incluem um bom saca-rolhas e taças variadas. As mais importantes e tradicionais são as Bordeaux, Flutes, Borgonha, Porto e as utilizadas para vinhos brancos. Cada uma delas tem uma função específica e serve para degustar bebidas diferentes.

Preste muita atenção à temperatura

Por fim, mas não menos importante, falaremos sobre a temperatura da adega de vinhos. Esse é, muito provavelmente, o fator mais relevante para a preservação, conservação e envelhecimento adequado dessa bebida tão delicada e, portanto, toda a atenção é pouca com esse ponto específico.

O calor é um dos maiores inimigos de uma bela garrafa de vinho. Temperaturas acima dos 21º C farão com que a sua bebida envelheça muito mais rapidamente, mas não da maneira que gostaríamos, e sim depreciando o produto. Por isso, o ideal é manter os vinhos em temperaturas que podem variar entre 12º e 16ºC, com uma pequena margem tanto para mais quanto para menos.

Por conta disso, as adegas são o melhor lugar para armazenar a sua coleção. Elas mantêm a temperatura em níveis considerados adequados para os vinhos, além de evitar a oscilação de temperatura, que pode ser tão nociva para os produtos quanto o calor, já que a variação pode fazer com que a rolha da garrafa seja empurrada para a fora graças à mudança de pressão interna.

Dica: 5 gadgets de vinhos que você precisa ter

Quais as condições climáticas ideais para a conservação dos vinhos?

Estamos quase no fim de nossa conversa! Ao chegar até aqui, você provavelmente já está craque nos principais aspectos que devem ser levados em consideração na hora de construir ou adquirir uma adega para conservar seus vinhos da maneira adequada. No entanto, ainda é importante discorrer um pouco mais sobre as condições climáticas ideais para isso.

Como mencionado em nosso tópico anterior, é crucial que a temperatura adequada seja mantida o mais estável possível para evitar potenciais problemas com a pressão interna das garrafas dos vinhos. Por conta disso, é inviável mantê-los em uma geladeira por muito tempo, já que o clima nesse eletrodoméstico é alterada toda vez que abrimos a sua porta.

As adegas, sejam elas passivas ou climatizadas (dependendo, é claro, das necessidades específicas de cada ambiente, como mencionamos mais acima em nosso artigo), são os ambientes ideais para garantir que essas flutuações não ocorram de maneira drástica, deixando a temperatura constante em todos os momentos do dia.

Percebemos que os assuntos inerentes ao mundo do vinho são infindáveis, mas isso nos estimula a buscar sempre novidades. E em relação às adegas, com alguma atenção aos detalhes e materiais adequados, é possível armazenar diversos exemplares sem perdas sensoriais, preservando assim as principais características da sua bebida favorita. Então, comece a prepará-la o quanto antes!

Gostou deste artigo? Sabia que você pode receber todas as novidades da Casa Valduga diretamente em seu e-mail? Para isso, basta assinar a nossa newsletter e conferir todos os conteúdos em primeiríssima mão!




Por
23/10/2018

Enólogo e Embaixador da Marca.


Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!

Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!