Tudo o que você precisa saber sobre a uva Merlot


Tudo o que você precisa saber sobre a uva Merlot

Quando nos referimos às uvas emblemáticas, nos perguntamos qual representaria o Brasil, e muitos consumidores respondem prontamente: Merlot. Amplamente cultivada em território nacional, agradando os mais distintos paladares, desde os novos entusiastas até os amantes do vinho de longa data.

Além da Merlot, a Cabernet Sauvignon representa uma grande parcela na produção vinícola brasileira e mundial, e isso provavelmente você já sabia. Mas, por acaso, conseguiria diferenciar uma da outra?

Antes de propor esse desafio, vamos esclarecer tudo que você precisa saber sobre a uva Merlot, sua origem, principais características e dicas de harmonização! Continue acompanhando o texto, e lembre que leitura e uma bela taça de vinho são companhias perfeitas.

De onde vem a uva Merlot?

A origem do nome “Merlot” é um pouco controversa, mas, de maneira geral, há um consenso quanto à sua relação com o pássaro-preto (ou merlo), chamado de merle na França. Aquele mesmo da canção de Paul McCartney.

Só não se sabe bem se a uva foi apelidada de “merlinha” (merlot) por causa de sua cor negro-azulada, como as penas da ave, ou porque é uma das preferidas do pássaro, que torna-se uma praga para os viticultores.

De qualquer jeito, sua história começa na França, embora seja, hoje uma das uvas mais cultivadas no Novo Mundo. 

Dica: Afinal, o que é que tem em Champagne?

Qual a sua história?

Assim como diversas outras variedades de uvas viníferas vieram do Oriente Médio para conquistar a Europa ao longo da história do vinho, a Merlot também teria sido trazida à França de lá. Aliás, seu primeiro registro de uso na elaboração do vinho é relativamente recente, datando de 1784, na região de Bordeaux.

De acordo com os cientistas que estudam as uvas e videiras — que, para quem não sabe, se chamam ampelógrafos —, a Merlot é, como suas irmãs Carmenère e Cabernet Sauvignon (outras duas francesas bem famosas), descendente da Cabernet Franc.

Atualidade

Apesar de só ter aparecido no século XVIII, não demorou para a Merlot se espalhar de Bordeaux para o mundo. Em 1855, ela já aparece nos registros de uvas tintas cultivadas na Itália com o nome de Bordò, sendo hoje, como dissemos, a segunda mais cultivada do planeta.

Um fator que favoreceu esse sucesso estrondoso foi sua adaptabilidade aos mais distintos solos e climas do Novo Mundo, dentre os quais, o Brasil vem se destacando desde a década de 1970. De fato, a uva gostou tanto da Serra Gaúcha que há quem diga que ela deveria ser o emblema da nossa principal região produtora, já pensou?

Para se ter uma ideia, apenas metade da produção mundial de Merlot vem da região de Bordeaux (onde ocupa o dobro de hectares cultivados com Cabernet Sauvignon). O restante está distribuído pelas mais variadas localidades como Israel, Romênia, México, Califórnia, Nova Zelândia, Suíça, África do Sul, Canadá, Chile, Uruguai, Argentina e, claro, o Brasil.

Conheça todos os produtos da Famiglia clicando no banner abaixo!

Conheça todos os produtos da Famiglia

Quais são suas principais características?

Outra polêmica em torno da Merlot — dessa vez, bem mais controversa que a questão do nome — tem a ver com o momento de colheita das uvas. A coisa é tão séria que acabou dividindo o estilo de produção em dois, dependendo do momento em que a uva é colhida, acredita? Entenda!

Padrão internacional

Uma das grandes vantagens do cultivo da Merlot fora da Europa é o fato de ela amadurecer rápido e poder ser colhida mais cedo, antes que chuvas e outros problemas climáticos possam prejudicá-la.

Para alguns, no entanto, na realidade, ela fica muito mais gostosa quando é deixada por mais tempo no cacho, já que fica ainda mais concentrada.

Esse é o padrão mais usado nos vinhos produzidos no Novo Mundo com a Merlot. Suas características são:

  • Aroma intenso;
  • Nitidamente frutada, remetendo a frutas negras maduras, como ameixas e mirtilos;
  • Taninos macios e maduros;
  • Menor acidez.

Padrão francês

O segundo “estilo”, por assim dizer, de produção de vinhos com a Merlot, prefere a colheita no momento certo, sem deixar que ela amadureça em demasia. De acordo com os puristas, esse método permite que a bebida mantenha sua elegância e leveza originais, deixando-a mais fresca e aumentando sua longevidade.

Dica: Produção do vinho: como acontece a fermentação da uva?

No Brasil, como na França, essa é a forma de cultivo predominante, já que ajuda a proteger as videiras das chuvas de verão. As características do vinho elaborado com a uva colhida no período "ideal” são:

  • Aromas delicados;
  • Frutado, porém evidenciando frutas frescas e mais ácidas, como morango ou framboesas;
  • Taninos firmes;
  • Acidez marcante, porém não agressiva.

Blend ou varietal

Tanto em uma linha como na outra, quando comparada a outras uvas, a Merlot chama a atenção por ser frutada e aveludada, mais um motivo pelo qual é tão popular em todo o mundo!

Os vinhos varietais, isto é, feitos exclusivamente com Merlot, geralmente são macios e fáceis de beber. Já nos blends (principalmente com Cabernet Sauvignon e Tannat), a Merlot emprega delicadeza e as outras uvas proporcionam mais estrutura à bebida, como acontece nos vinhos de Bordeaux

Quando é amadurecida em barris de carvalho, a Merlot fica ainda mais redonda e macia, onde aporta-se aromas e sabores que geralmente denotam café, baunilha, chocolate e especiarias.

Quais as diferenças entre a Merlot e a Cabernet Sauvignon?

Antes de entender o que essas uvas apresentam de diferença, é interessante conhecer o que elas compartilham. A Merlot e a Cabernet Sauvignon são utilizadas para criar um dos vinhos de corte (ou blend) mais famosos do mundo: o bordalês.

Elaborado na região de Bordeaux, na França, a clássica mistura utiliza a Cabernet para trazer força e capacidade de envelhecimento ao vinho, enquanto a Merlot empresta equilíbrio e textura ao corte. 

Com isso dito, é importante saber que um dos pontos que distinguem os vinhos de Cabernet dos da Merlot é a sua concentração. 

A primeira tem uma característica tânica bastante forte, que deixa a sensação de "língua travada", remetendo ao que se sente quando se morde goiaba, caqui ou banana ainda verdes. Isso acontece devido à alta concentração de taninos presente nessa casta da fruta.

Já a Merlot apresenta uma qualidade mais macia ao paladar, oferecendo uma sensação de “língua aveludada”. Essa é uma uva que conta com potencial forte para dar textura macia à bebida, deixando-a mais equilibrada.

Outro ponto de diferenciação é a coloração dos resultados. Quando jovens, os vinhos da Merlot tendem a ser de cor mais violácea, ou seja, tons próximos ao roxo. Enquanto isso, os exemplares também jovens da Cabernet se mostrarão com uma cor mais avermelhada, em nuances de rubi.

Conheça todos os produtos da Famiglia clicando no banner abaixo!

Conheça todos os produtos da Famiglia

Por outro lado, quando envelhecidos, os vinhos Cabernet tomam cores vermelho-tijolo. Já os vinhos produzidos com a Merlot assumem a cor vermelha intensa original da Cabernet.

É por isso que muita gente se confunde na hora de diferenciar essas duas castas em estágios mais envelhecidos. 

Como a uva Merlot se destaca pelo mundo?

Como você percebeu, essa casta é amplamente cultivada e adorada nos mais diferentes países. Entenda agora como ela se destaca nas principais regiões: 

Europa

Essa uva é a quinta mais cultivada na Itália, onde faz parte da composição de grandes vinhos de corte nas proximidades da Sicília e do Friulli. Porém, seu grande destaque se dá na Toscana, onde são elaborados os rótulos mais famosos do país: os chamados supertoscanos.

Nesse blend especial, a Merlot é combinada com a Sangiovese, a fim de diminuir a acidez e tanicidade do vinho. É comum que ela ainda participe de outros blends com castas, como a Cabernet Sauvignon e a Syrah.

Na região de Setúbal, em Portugal, os varietais produzidos utilizando a Merlot são bastante conceituados, já que são capazes de manter suas altas qualidades mesmo depois de um bom tempo de guarda. 

Novo Mundo 

As melhores produções da Merlot encontradas nos Estados Unidos estão situadas nos estados da Califórnia e da Virgínia. Na verdade, há muito tempo, a produção californiana tem sido reconhecida mundialmente, porém, foi só na década de 1980 que esse cenário ganhou destaque.

O Chile também é outro grande produtor de vinhos vindos dessa uva. Em meio a várias regiões produtoras, o Aconcagua revela seu clima como o mais adequado do país. As baixas temperaturas do local ajudam os exemplares a ter mais taninos, boa estrutura e elevado nível de acidez

Brasil 

Embora faça parte do considerado Novo Mundo, o Brasil ganha ênfase na produção de vinhos Merlot. Mesmo na disputa com outras tintas, essa casta é a mais plantada na região sul do país. Há quem diga que, tamanha a sua importância, seus cachos roxo-escuros devem ser símbolo da região. 

Como mencionado, na Serra Gaúcha, a Merlot é colhida no padrão francês e resulta em belos exemplares de vinhos tintos frescos, frutados e com taninos acentuados

Algumas vinícolas nacionais também utilizam a uva para a elaboração de espumantes — geralmente combinados com outras castas, como Pinot Noir e Chardonnay. Curiosamente, este estilo de produto pode ser encontrado na coloração rosé ou tinta, e não tenha receio, pois degustar produtos inovadores sempre é válido. 

Quais as curiosidades da casta?

A Merlot tem uma versão branca

Na elaboração dos vinhos não é permitido adicionar corantes ou aromas sintéticos. A coloração do vinho é proveniente das cascas da uva, pois a maior parte das frutas não apresentam matéria corantes na polpa, sendo assim é possível elaborar vinhos brancos com uvas tintas, desde que se evite o contato prolongado do líquido com as partes sólidas do fruto, processo este conhecido como maceração.

Este processo é pouco usual quando nos referimos a uva Merlot, pois a casca do fruto agrega a maior parte dos aromas e sabores.  

É uma das uvas mais versáteis

Uma das principais razões da popularidade global da Merlot é a sua versatilidade. Isso acontece pois, a partir dela, podem ser elaborados tanto vinhos mais jovens, delicados e leves, quanto bebidas mais encorpadas e com longa guarda. O grande ponto positivo é que ambas as versões mantêm altos padrões de qualidade. 

Os preços podem ir às alturas

É verdade que a maioria dos rótulos da uva é bastante acessível. No entanto, a precificação de uma garrafa depende de vários fatores. Graças aos avanços tecnológicos inseridos no setor, os produtores disponibilizam ao mercado exemplares de alta qualidade com preços que podem variar de R$ 30,00 a R$ 120,00. 

Porém, uma singela garrafa do famoso vinho Chateau Petrus, de Bordeux, produzido exclusivamente com essa casta, pode chegar a custar mais de R$ 5 mil, considerando principalmente a safra no qual a uva foi produzida. 

Procedência nobre

Estudos de DNA apontam que a uva é fruto do cruzamento de duas castas muito respeitadas: a Cabernet Franc e a Magdeleine Noire des Charentes

Denominação de Origem no Brasil

A Merlot é a casta tinta mais importante na única Denominação de Origem do território nacional. Foi no Vale dos Vinhedos, na Serra Gaúcha, que a uva recebeu o reconhecimento DO.

Essa é uma certificação que assegura que as bebidas têm procedência geográfica única e que as vinícolas seguem práticas regulamentadas pela legislação local.

É a uva mais cultivada na França

A Merlot é a casta mais cultivada no maior produtor mundial de vinhos, deixando para trás as aclamadas uvas Pinot Noir e Cabernet Sauvignon. Os principais locais de cultivo por lá estão nas regiões de Pomerol e St. Émillion. 

Como acertar nas harmonizações com Merlot?

Quando o assunto é combinar um vinho elaborado a base de Merlot com alimentos, essa uva é bem eclética, já que não está em nenhum extremo de acidez, taninos ou doçura. Para fins de comparação, pode-se dizer que é como se fosse um meio-termo entre Syrah e Pinot Noir.

Os varietais de Merlot harmonizam bem com carnes magras, sejam elas brancas ou vermelhas. Em relação aos queijos escolha os de média maturação, assim não haverá erros. Contudo, um belo exemplar de Merlot fica perfeito com massas ou risotos que contenham tomates ou funghi em sua composição. 

O único “senão” do Merlot são as comidas apimentadas, que podem se sobrepor à suavidade do vinho, além das saladas de folhas e peixes, que não dão certo com seu sabor, podendo deixar uma sensação metálica.

Nos blends, como os vinhos Bordeaux que usam Merlot e Cabernet Sauvignon, as carnes vermelhas mais gordurosas deixam a refeição extremamente saborosa. Vale investir na harmonização até com hambúrguer e churrasco

Agora que você já sabe tudo sobre a uva Merlot e os vinhos dela originados, será que conseguiria diferenciá-la da Cabernet Sauvignon pelo paladar ou aroma? Faça uma degustação em casa, compare com as características que listamos e coloque o conhecimento que acabou de ganhar em prática!

Conheça todos os produtos da Famiglia clicando no banner abaixo!

Conheça todos os produtos da Famiglia

Aproveite este momento para conhecer, degustar e aventurar-se com nossos produtos elaborados a partir da uva Merlot. Você vai se encantar!




Por
06/11/2018

Enólogo e Embaixador da Marca.


Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!

Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!