Decantar ou não decantar, eis a questão


Decantar ou não decantar, eis a questão

Essa é uma dúvida recorrente entre aqueles que estão começando a apreciar vinhos. Contudo, muito se fala e pouco se sabe sobre o que realmente é o processo de decantação de vinhos

Preparamos este post para que você esclareça todas suas dúvidas em relação à decantação. Iremos descrever o que é, como fazer, quais vinhos devem ser decantados, além de desvendar alguns mitos acerca do processo. Confere aí e já escolhe qual o próximo vinho que você irá degustar. Vamos lá?

Afinal, o que é e para que serve a decantação de vinhos?

Decantação é um processo que consiste em transferir um líquido, nesse caso, o vinho, da garrafa para outro recipiente, com o objetivo separá-lo das partículas sólidas. Este recipiente que armazenará a bebida é chamado de decanter, que nada mais é do que uma "jarra" de vidro transparente e incolor.

Esses sedimentos são formados naturalmente, sendo compostos por ácidos, minerais, taninos e entre outros componentes presentes na uva e no vinho. Contudo, são mais frequentemente encontrados nos vinhos tintos mais evoluídos, ou seja, que já envelheceram alguns anos dentro da própria garrafa. 

Eles não causam mal algum, apenas podem tornar desagradável o ato de degustar o vinho, deixando-o com um gosto levemente amargo e textura áspera, além de um aspecto turvo e opaco. Então, para evitar os sedimentos, é necessário decantar o vinho.

Dica: Vinhos e barricas: 8 curiosidades que farão a diferença na escolha da próxima garrafa

O processo de decantação não serve apenas para eliminar os resíduos sólidos do vinho, mas também serve para aerá-lo, o que muitas pessoas chamam de respiração do vinho. O contato do oxigênio com o vinho estimula a liberação dos aromas da bebida, deixando-os mais intensos e mostrando diversas camadas de aromas, que sem a oxigenação ficariam "presos".

Curiosamente, até mesmo os vinhos brancos e os espumantes podem ser aerados, principalmente os mais antigos e elaborados em safras especiais, como os "brazucas" Nature Sur Lie e Gran Leopoldina Chardonnay DO, ambos da Casa Valduga. Assim, teremos uma bebida mais aromática e complexa (repleta de aromas e sabores). Porém, será que todos os vinhos podem ser decantados? Quando fazer isso? Descubra no próximo tópico!

Quais vinhos devem ou não ser decantados?

Antes de tudo, já deixamos claro que nem todos os vinhos precisam ser decantados. Este processo é destinado, principalmente, para os tintos mais velhos, lembrando que vinhos muito antigos, acima de 20 anos, devem ser decantados com muita cautela, pois a oxigenação exacerbada poderá afetá-lo negativamente, fazendo com que seus delicados aromas sejam perdidos. 

Atenção: nunca confundir decantação com aeração. São processos distintos e com finalidades diferentes. 

Os tintos jovens, que não passaram por madeira, não precisam passar pelo procedimento. Dificilmente você decantará vinho branco, espumante ou rosé também jovens. Agora que já sabemos quais são os vinhos que não devem ser decantados, vamos descobrir quais são aqueles que se beneficiam do clássico processo. 

Adquira os melhores rótulos na loja online da Famiglia Valduga!
adquira os vihos da Famiglia

Tintos evoluídos

Um vinho elaborado para durar anos ou, até mesmo, décadas vai formando partículas não solúveis quando ele vai envelhecendo. Quanto mais velho, maior a probabilidade de decantá-lo. Talvez também precisem ser aerados, caso você perceba que seus aromas estão “fechados”, lembrando muito a presença de álcool ou mesmo apenas um aroma de vinho, sem mais nenhuma nota interessante.

Quando for beber um vinho, confira a data de elaboração. Se ele já tiver, em média, com 6 anos de engarrafamento, por exemplo, pode ser uma boa ideia decantá-lo e aerá-lo. Um exemplo disso é o icônico e concentrado Vistalba Corte A.

Tintos não filtrados

A filtração é o último processo efetuado antes do engarrafamento (pelo menos na maioria dos vinhos) com o objetivo de eliminar as leveduras mortas, bactérias e sedimentos naturais formados durante a vinificação. Contudo, vários enólogos preferem não realizar este processo, preservando compostos que conferem corpo, mas também estimulam a formação de borras e cristais nos vinhos. Se você tem curiosidade de provar um vinho não filtrado, conheça o incrível Franco, da Viña Maquis (de tanto corpo, dizemos que este é um vinho para "comer de colher")

Tintos estilo Porto

Os vinhos finos elaborados com a mesma técnica do famoso Vinho do Porto, também se aplicam os princípios acima. A decantação é ritual que acontece à medida que a bebida envelhece. Porém, os que foram envelhecidos em barris e filtrados antes do engarrafamento, não precisam ser decantados independentemente da idade. Exemplo disso são os vinhos na categoria Tawny, como o 30 Years Old da clássica vinícola Kopke. .

Por outro, os vinhos que passaram muito tempo descansando na própria garrafa, mas não foram filtrados, com o tempo acumularão depósitos naturais. Portanto, precisarão ser decantados. Neste caso, os vinhos da categoria Ruby são belos exemplos.

Dica: Identifique diferentes características do vinho

Como decantar vinho corretamente?

Caso você vá decantar um vinho antigo, é necessário colocar a garrafa na posição vertical preferencialmente entre 24 e 48 horas antes do processo. Com isso, os sedimentos se concentrarão no fundo da garrafa.

Nesse caso, o processo de decantação deverá ser feito no momento em que a bebida será apreciada para que ela não perca suas características. Se esse processo for feito para aerar outro tipo vinho, meia hora antes pode ser o suficiente.

Decantar um vinho não é complicado. Confira o passo a passo a seguir para realizar esse procedimento corretamente.

Pegue o decanter

Há vários modelos de decanter no mercado. Para fazer a aeração, prefira os que têm uma boca mais aberta para que boa parte do vinho entre em contato com o oxigênio. Já para a separação de resíduos sólidos, o mais recomendado é utilizar um inclinado com uma boca estreita.

Retire a rolha

Remova cuidadosamente a cápsula e a rolha de cortiça. Sem a cápsula fica mais fácil visualizar a movimentação dos sedimentos e, assim, impedir que eles saiam da garrafa. Fique atento aos vinhos envelhecidos, as rolhas podem se despedaçarem e se você tiver dificuldade para visualizar os sedimentos, basta colocar uma vela acesa contra o gargalo, ou mesmo a própria lanterna do celular. Seu vinho, suas regras.

Os melhores vinhos você encontra em nossa loja online!

adquira os vihos da Famiglia

Limpe o gargalo

A seguir, limpe o gargalo da garrafa para retirar qualquer resíduo que possa ser transferido para a bebida. Aproveite para experimentar o vinho, pois ele estiver ruim você não precisará perder tempo decantando ele.

Verta o vinho

Comece a transferir o vinho, de forma lenta e contínua. Coloque um pequeno foco de luz junto da garrafa para se certificar de que não vão cair borras no decanter. No caso de aeração, transvase a bebida de um lado para o outro normalmente.

Pare de virar o vinho

Quando chegar até a metade da garrafa, diminua o ritmo da transferência de líquido. A decantação deve parar quando os sedimentos chegarem no ombro da garrafa. O que sobrou deve ser descartado. Feito isso, sirva imediatamente aos seus convidados.

Suas dúvidas sobre decantar vinho foram respondidas? Esperamos que sim! Essas são algumas dicas de como identificar quais são os vinhos que podem ser decantados. Porém, na verdade não existem respostas certas ou erradas sobre o assunto. Algumas pessoas preferem experimentar a bebida sem decantá-la, mesmo com a presença de sedimentos.

Portanto, na próxima vez que você abrir uma garrafa aprecie e saboreie a sua bebida. Com o tempo, você será capaz de encontrar vinhos que agradem ao seu paladar. Se você gostou do nosso artigo, aproveite para seguir-nos no Facebook para acompanhar mais novidade sobre esse universo!




Por
30/07/2019

Enólogo e Embaixador da Marca.


Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!

Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!