Como a graduação alcoólica interfere no sabor de um vinho?


Como a graduação alcoólica interfere no sabor de um vinho?

Quem gosta de apreciar um bom vinho, mesmo que ainda não tenha um conhecimento aprofundado, sabe que não basta escolher qualquer um.  Quem nunca encarou a prateleira do supermercado e ficou completamente perdido?

A verdade é que escolher o vinho certo para cada ocasião depende de uma série de fatores. Começando pelo tipo de uva, passando pela melhor harmonização possível e, claro, o seu gosto pessoal. Entre todos esses quesitos está a graduação alcoólica.

Mas você sabe exatamente qual é a sua influência no sabor da bebida? Entende como ela é percebida pelo paladar? Para solucionar essas e outras questões, preparamos um conteúdo completo. Continue lendo esse artigo até o final e entenda.

Como se forma o teor alcoólico?

Antes de explicarmos como a graduação alcoólica se manifesta em um vinho, é importante destacar como é a produção dessa bebida. Isso porque esse é um processo extremamente detalhado que começa com os cuidados tomados desde a cultivo das uvas.

Pensando de forma simplificada, quanto mais maduro for o fruto, mais açúcares ele terá e, consequentemente, maior será a concentração de álcool do vinho. Portanto, todos os fatores que influenciam a cultura da uva impactarão nessa característica. Temperatura local, regime de chuvas e até o solo da região têm seu papel na concentração alcoólica da bebida.

Existem até algumas espécies que são expostas a um processo de podridão fina. O objetivo é deixar que os bagos percam umidade, aumentando a concentração de açúcares.

Mas para todas elas o processo continua o mesmo: são colhidas no momento certo, maceradas e seu mosto é deixado para fermentação. É nesse momento que os açúcares são consumidos pelas leveduras e transformados em álcool.

Por isso, outro fator importante é a forma com que são fermentadas as uvas. Os vinhos de mesa passam por esse processo somente uma vez. Já os espumantes o sofrem duas vezes, sendo a segunda delas com o objetivo de obter maior gaseificação. Por fim, existem aqueles que recebem uma dose extra de álcool durante a fermentação. São conhecidos como vinhos fortificados.

De forma geral, o teor alcoólico fica entre os 10 e 15%. Mas para aqueles mais fortes, como o famoso Porto, esse valor pode chegar aos 20% de volume de álcool.

Clique no banner abaixo e adquira o seu vinho favorito da Famiglia Valduga!

Adquira os vinhos da Famiglia

Existe uma graduação alcoólica ideal de um vinho?

A resposta mais direta para essa pergunta é não. Isso porque cada vinho tem a sua necessidade diferente. Ou seja, a graduação varia de acordo com o perfil da bebida. Quanto mais estruturado for o rótulo, maior será seu teor alcoólico. O mesmo serve para os refrescantes, que funcionam melhor com menos álcool.

Isso porque a quantidade de álcool influenciará diretamente na percepção de sabor ao paladar. Nesse sentido, ele deve trabalhar em favor do equilíbrio do vinho, e não o contrário.

Portanto, podemos dizer que existe uma graduação alcoólica ideal somente quando compuser os sabores daquela bebida específica. Ou seja, não há como comparar rótulos diferentes, mesmo quando eles sejam da mesma casta cultivada em locais similares.

Dica: Produção do vinho: como acontece a fermentação da uva?

Quais são as diferenças entre vinhos de alto e baixo teor alcoólico?

Nesse ponto, você já entendeu a importância do cultivo e dos diferentes processos de fermentação para o teor alcoólico de cada vinho. Essas formas distintas de obter a bebida também terão outros impactos no produto final.

Por isso, é seguro dizermos que vinhos com graduações alcoólicas semelhantes também terão perfis parecidos. É claro que eles não serão exatamente os mesmos, mas certamente estão inseridos em grupos bastante próximos uns aos outros.

Por exemplo, aqueles com volume abaixo dos 13% tendem a ter corpo leve e sabores refrescantes. Muitos deles podem trazer características herbáceas, com maior acidez e aromas menos destacados. Em geral, são os de coloração pálida, o que inclui também os espumantes.

Naturelle Tinto Suave Naturelle Moscatel ORIGEM CHARDONNAY
Clique nas imagens acima e conheça mais detalhes de alguns dos produtos com teor alcóolico abaixo de 13%.

Já nos vinhos com teor alcoólico alto (acima de 14%) são encorpados, com textura aveludada e cores escuras. Na maioria das vezes são envelhecidos, o que os dá sabores amadeirados. Também trazem outras notas e aromas menos persistentes que o anterior.

BAGLIO DI PIANETTO VOLTAR A LISTAGEM CEMBALI IGT NERO D'AVOLA RAÍZES GRAN CORTE  
Clique nas imagens acima e conheça mais detalhes de alguns dos produtos com teor alcóolico acima de 14%.

Entre esses dois tipos estão aqueles com corpo médio e teor alcoólico entre os 13% e os 14%. De forma geral, são de acidez, aromas e sabores moderados. E essa característica se estende também à coloração: tintos, mas ainda transparentes e claros.

LEOPOLDINA TERROIR CHARDONNAY  RAÍZES TERROIR SAUVIGNON BLANCSTORIA MERLOT
Clique nas imagens acima e conheça mais detalhes de alguns dos produtos com teor alcóolico entre 13% e 14%.

Tanto as diferenças quanto as semelhanças entre cada um dos membros desses grupos são consideradas fatores para classificá-los. É possível encontrar um vinho mais encorpado, mas que ainda tem a graduação alcoólica moderada. E é o perfil da vinícola que impactará nessa combinação de características.

Dica: Entenda a importância da água ao degustar um vinho

Quais outras substâncias podem interferir no sabor de um vinho?

Como você pode perceber, não é apenas a graduação alcoólica que influencia o sabor de um vinho. Na realidade, cada um dos rótulos possui diferenças e nuances sutis que o tornará único no mercado. Daí a importância de degustar vários deles para aumentar seu repertório.

Um dos mais importantes quesitos é o teor ácido que a bebida possui. Assim como o álcool, ele é determinado pela casta usada na produção do vinho. Também influencia na acidez o momento da colheita das uvas. Quando mais maduras, menos marcante será a percepção dos ácidos.

Cada perfil de vinho exige uma graduação ácida diferente. E a equação correta, assim como as decisões que impactarão nela, são obtidas com experiência. Por isso é tão seguro confiarmos em vinícolas com anos de tradição. Elas certamente sabem o que estão fazendo para encontrarem as fórmulas perfeitas.

Outro ponto importante é a presença de taninos. Apesar de muitos não apreciarem quando eles são pronunciados, visto que são responsáveis pela sensação de amarrar a boca, eles são fundamentais para a qualidade da bebida.

É graças aos taninos que o envelhecimento dos vinhos é possível. Isso porque com o passar do tempo, eles te tornam mais arredondados e conferem qualidade inigualável aos rótulos.

A graduação alcoólica de um vinho é um ponto importante a ser considerado ao avaliar sua qualidade. O equilíbrio perfeito entre ela e todas as nuances de sabores e aromas, além de acidez e presença de taninos é o que fazem um bom rótulo. Por isso, ao escolher a garrafa perfeita, lembre-se de levar todos esses quesitos em consideração para tomar a decisão mais rica possível.

Clique no banner abaixo e adquira o seu vinho favorito da Famiglia Valduga!

Adquira os vinhos da Famiglia

Se você gostou desse conteúdo e quer ter mais informações desse tipo em primeira mão, curta a nossa página no Facebook!



Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!

Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!