Afinal, o que é vinho verde?


Afinal, o que é vinho verde?

Ainda que pareça literal, o nome “vinho verde” não se refere exatamente a um vinho de coloração verde. Esse estilo de vinho apresenta variações, podendo ser branco, rosado, tinto e até mesmo espumante. Então surge a pergunta: o que é um vinho verde?

Por mais estranho que possa parecer, a nomenclatura está ligada ao local onde o vinho é produzido e não à cor. Afinal, ele é feito exclusivamente numa região localizada no noroeste de Portugal. Ou seja, nenhum outro lugar do mundo é capaz de produzir vinhos verdes, tamanha a importância e a especificidade geográfica do local.

VINCADA VINHO VERDE DOC

Você pode encontrar vinho verde no e-commerce da Famiglia. Clique na imagem acima e confira mais detalhes do produto!

Esse vinho é tão importante para a cultura portuguesa que, no ano de 1908, foi estabelecida uma área conhecida como a Região Demarcada dos Vinhos Verdes. Ela se estende por todo o lado noroeste português e é compreendida entre as margens do Rio Minho, ao norte, na divisa com terras espanholas, até o Rio Douro, ao sul do país.

Quer saber mais sobre esse vinho? Confira o nosso artigo de hoje!

Uma segunda “teoria” para o nome

Alguns enófilos apontam que essa variedade de vinho leva o nome de “verde” graças à sua alta acidez, remetendo ao perfil ácido das uvas produzidas na região delimitada geograficamente como Vinho Verde.

Para entender melhor o que é o vinho verde, é necessário conhecer um pouco das características da região onde ele é produzido. O vinho verde é um exemplo característico do poder do efeito terroir.

“Os Jardins de Portugal”

Inspiração para artistas lusitanos, a região já foi chamada de "os jardins de Portugal". Ali, o clima úmido e os altos índices pluviométricos deixam as paisagens exuberantes e as condições excelentes para a produção de vinhos brancos, espumantes e até mesmo aguardentes.

Clique no banner abaixo e conheça os produtos do e-commerce da Famiglia!

Conheça os produtos do e-commerce da Famiglia!

Embora seja situada na região de clima mediterrâneo, a influência marítima do Oceano Atlântico deixa o clima ameno em na região. Esses fatores climáticos, somados aos solos majoritariamente de origem granítica, traduz-se em leveza, frescura e elegância dos vinhos produzidos ali.

Tal é a tradição do local que a Região dos Vinhos Verdes é considerada um polo mundial de enoturismo — destinos especiais para nós, amantes da "bebida de Baco"!

Variedade intensa em um único lugar

A Região Demarcada dos Vinhos Verdes tem tantos microclimas que foi dividida em 9 sub-regiões. Cada uma delas tem diferentes castas recomendadas à produção de vinhos e outras bebidas. Embora cada vinho da região tenha sua peculiaridade, podemos apontar algumas características gerais dos vinhos verdes.

Agora já sabemos que eles são produzidos no noroeste de Portugal e que eles devem ser obrigatoriamente dali para que sejam considerados verdes. Sendo assim, a leitura do rótulo é um fator importante no momento de adquirir o vinho para que você não erre logo de cara.

Dica: Guia de compra de vinhos: como não errar na escolha?

Elaborados a partir de castas produzidas na região, os enólogos costumam defini-los como vinhos leves, com uma frescura vibrante e notas frutadas e florais. Pode-se dizer que essas qualidades gustativas e aromáticas marcantes estão na maioria dos vinhos verdes.

As características e os tipos de vinhos verdes

Os verdes são jovens

Chamar um vinho de jovem é autoexplicativo e sem muita pegadinha. Esse adjetivo diz exatamente sobre a idade do vinho — ou seja, ele está pronto para ser consumido sem ter passado por períodos de maturação nas barricas ou em caves.

Em contrapartida, os chamados vinhos de guarda necessitam de um período mais longo dentro dos barris para atingir seu ponto ótimo de consumo. Sendo assim, os vinhos tradicionalmente produzidos na Região Verde de Portugal são vinhos jovens que apresentam alta acidez e frescor marcante.

Dica: Barricas de vinho: 5 dúvidas esclarecidas para você

Os verdes são de várias cores

Verdes brancos

Por mais paradoxal que pareça essa afirmação, a partir de agora vamos falar sobre as colorações dos vinhos verdes. Os vinhos brancos dessa variedade apresentam cores que variam entre o citrino até tons de palha.

Eles apresentam acidez intensa, ainda que delicada, e são harmoniosos ao paladar. A intensidade de seus aromas frutados e florais evidencia um frescor poderoso a cada gole.

Verdes rosados

A variação da cor desses vinhos vão de levemente rosado a um rosa bem carregado. Os aromas jovens são a marca característica dessa variedade, que traz em si notas de frutas vermelhas. O sabor é persistente, apesar de seu frescor natural, e pode surpreender os paladares acostumados aos rosés comuns.

Verde tintos

Essa qualidade proporciona vinhos com coloração intensa, que podem apresentar uma espuma mais rosada ou avermelhada. Em seu aroma destacam-se os frutos silvestres, mantendo as características gerais dos vinhos do noroeste português: acidez marcante, frescor intenso em seu sabor e aroma.

Os vinhos verdes tintos são considerados vinhos extremamente gastronômicos, sendo utilizados tanto para a harmonização de pratos complexos, como no preparo de algumas receitas especiais.

Dica: Vinhos e alimentos vegetarianos: é possível harmonizar?

Espumantes

Tal qual os outros estilos de vinho, os espumantes vinho verde mantém o perfil característico dos vinhos de lá. O frescor aromático estará sempre presente e será evidenciado no caso dos espumantes devido às temperaturas de consumo mais baixas.

O que varia nesse caso é a doçura do vinho por causa da concentração de açúcar residual presente no resultado final.

A harmonização com vinhos verdes

É importante lembrar que os vinhos mais ácidos, em geral, são servidos a temperaturas mais baixas para que sua acidez seja refrescante e não pungente. Por isso, é preciso estar atento na hora da harmonização.

Sendo assim, a escolha do prato deve ser pautada pensando em valorizar esses atributos. Os vinhos ácidos combinam, em geral, com frutos do mar e peixes de água salgada. Pensando geograficamente,, esse tipo de vinho valoriza os pratos típicos portugueses, próximos ao Atlântico.

Podemos harmonizar esses vinhos com bacalhoadas, risotos de frutos do mar, saladas refrescantes ou até mesmo um suflê de salmão. Outra dica é pensar nos pratos orientais — como sushi, sashimi, ou pratos elaborados com polvo —, cujo sabor destaca-se na presença da acidez do vinho verde.

Pronto! Agora que você sabe o que é vinho verde, você pode entrar de cabeça nesse universo rico em sabores e aromas e explorar as mais sofisticadas harmonizações que vinho permite. Compartilhe essas novidades com os amigos e aproveite para nos acompanhar nas redes sociais — FacebookInstagram!




Por
16/05/2017


Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!

Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!