Uva Tempranillo: conheça suas particularidades


Uva Tempranillo: conheça suas particularidades

Oriunda da Espanha, a uva Tempranillo é muito utilizada na elaboração de vinhos tintos. Devido à sua boa adaptação aos diferentes climas e solos, ela tem sido cultivada em diversos países no último século, como na Argentina, Austrália, Estados Unidos e África do Sul.

Seu nome se deve ao fato de brotar precocemente, conseguindo amadurecer mais cedo, e consequentemente tendo um ciclo mais curto. Ela apresenta diversas outras denominações ao redor do mundo. Em Portugal, é conhecida como Tinta Roriz, na Itália é chamada de Negretto e, nos Estados Unidos, ganha a denominação Valdepeñas.

Essa casta resulta em vinhos tintos com acidez equilibrada, teor alcoólico de nível médio/alto, textura macia e com taninos incrivelmente elegantes. Lembrando que como uma bela "bebida viva", o vinho estará sujeito a diversas modificações. Quer conhecer outras particularidades da uva Tempranillo e dos seus rótulos? Então continue a leitura!

Principais características

A Tempranillo apresenta cachos cilíndricos, compactos e de tamanho médio. Seus frutos são caracterizados pela casca grossa e de coloração escura devido à grande quantidade de pigmentos. Muitos amantes do vinho revelam que seus aromas estão no meio do caminho entre os da Cabernet Sauvignon e da Pinot Noir. Demonstrando que além das famosas frutas vermelhas, podemos encontrar especiarias, nuances herbáceas e também notas terrosas, contudo, os aromas florais são encontrados com frequência. 

Ela se desenvolve em locais com distintas altitudes, porém, como todas as uvas tintas é favorecida com amplitude térmica do terroir, e sobrevive melhor em terrenos secos e com altas taxas de insolação, necessitando de água em quantidade reduzida. Os melhores solos para seu cultivo são os pedregosos, os graníticos e os argilosos calcários, preferencialmente com baixa quantidade de matéria orgânica. 

Dica: Identifique diferentes características do vinho

Em regiões de clima quente, o calor ajuda a realçar sua coloração elevada, além de aumentar os níveis de açúcar. Já nas temperaturas mais baixas, a acidez tende a se destacar, contribuindo para a elegância e equilíbrio do vinho resultante. Sua colheita e vinificação ocorrem sempre antes das outras espécies tintas espanholas

Por esse motivo, assim como sua designação muda de acordo com o lugar em que ela é cultivada, algumas de suas características específicas também variam, resultando nas diferenças entre os vinhos.

No Brasil, a uva Tempranillo vem sendo plantada na região de Campanha, no Rio Grande do Sul, onde já podemos encontrar exemplares que surpreendem os paladares. 

História do cultivo

A uva Tempranillo é bastante antiga. Os estudos realizados acerca de sua história indicam que a renomada fruta vem sendo cultivada desde 1.000 a.C. na atual província espanhola de Cadiz. Ao que tudo indica, foram os fenícios que habitavam o oriente médio os prováveis transportadores das videiras para a Península Ibérica.

Sua grande capacidade em se adequar ao mais diferentes locais, resulta em bebidas distintas, sendo assim, ganhou dezenas de nomes diferentes em cada clima e região. Na Rioja, a Tempranillo alcançou a sua maior expressão. Seus vinhos são emblemáticos e têm grande reputação e notoriedade, tornando-se a casta símbolo da forte viticultura espanhola.

A Espanha possui nada menos que 600 espécies de uvas nativas aproximadamente. Esse número é superior ao da Itália, que também apresenta grande variedade de uvas autóctones.

Em Portugal, a variedade Tinta Roriz é uma das mais importantes para a viticultura do país — sendo também conhecida como Aragonês no Alentejo, uma das principais regiões produtoras de Portugal.

Com muitas qualidades — que garantem aos vinhos cores, aromas e taninos únicos —, o Tempranillo tornou-se símbolo das melhores bebidas. Um ponto muito importante é a sua resistência à oxidação, atributo que garante a longevidade do produto.

Vinhos elaborados com a uva Tempranillo

Em geral, o teor alcoólico dos vinhos Tempranillo varia entre 13 e 14%. Assim como grande parte das uvas tintas, sua versatilidade permite que ela seja vinificada sozinha ou em corte (assemblage), resultando em bebidas mais complexas.

Sua principal característica é a textura envolvente, sedosa e macia, com taninos redondos. Em rótulos mais complexos a textura aveludada e a alta densidade garantem elegância aos grandes vinhos

Quando jovens, os vinhos de Tempranillo costumam revelar aromas mais tímidos, tendenciando para as notas frutadas. Quando passam pela maturação em barricas de carvalho podem desenvolver aromas como caramelo, baunilha, couro e frutas secas. Esse estilo de elaboração é bastante difundida na Espanha.

Existem quatro classificações que designam os vinhos espanhóis de acordo com sua evolução: Jovem, Crianza, Reserva Gran Reserva. Essas nomenclaturas podem ser encontradas nos rótulos e estão relacionadas ao tempo de maturação nas barricas e envelhecimento nas garrafas. Os Gran Reserva, por exemplo, passam por uma maturação mínima de 24 meses em barrica e o restante na garrafa.

Adquira já os vinhos da Famiglia Valduga!
Adquira os vinhos da Famiglia

Hoje, também é possível encontrar bons vinhos argentinos produzidos com a Tempranillo. A uva foi levada para o país sul-americano pelos espanhóis e, graças a algumas bodegas, bebidas de qualidade e bem estruturadas estão sendo elaboradas no país — que já competem, inclusive, com os vinhos europeus.

Um dos grandes destaques da Tempranillo é sua versatilidade para a harmonização. Experimente degustá-los com carnes vermelhas grelhadas ou defumadas, queijos ou massas.

Uma boa dica é combinar a bebida com o prato da região. Vinhos espanhóis, por exemplo, vão bem com pratos tradicionais do país como o jamón ibérico — um tipo de presunto parma típico do território espanhol.

A uva Tempranillo é usada há muitos anos, resultando em vinhos marcantes, versáteis e robustos. Com essas extraordinárias características, a degustação pode ser feita sozinha ou harmonizada com pratos que agradem ao seu paladar e até mesmo um bom vinho jovem e sem madeira, levemente resfriado, combina muito bem com dias mais quentes!

Gostou do nosso conteúdo? Então não deixe de completar a leitura: conheça agora mesmo o que são as uvas autóctones!




Por
05/07/2018

Enólogo e Embaixador da Marca.


Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!

Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!