Queijos e vinhos: dicas deliciosas para não errar na harmonização


Queijos e vinhos: dicas deliciosas para não errar na harmonização

Uma das combinações mais famosas e irresistíveis é de queijos com vinhos, não é mesmo? Esse hábito de servir os dois alimentos juntos começou na região de Provence, na França, mas, há muito tempo, se espalhou por outros lugares do mundo, inclusive por aqui no Brasil.

As produções tanto do queijo quanto do vinho são bem antigas. Então, quando colocamos os dois juntos na mesa, remontamos a sabores e aromas de nossos ancestrais. Ou seja, o consumo dessa combinação perfeita também é algo cultural.

Além disso, os queijos e os vinhos têm mais em comum. Não são somente os tipos de leite e uvas que permitem a variedade dos dois alimentos. O ambiente em que a uva é cultivada e o modo como o animal é tratado também influenciam o sabor e o aroma de queijos e vinhos.

Dica: Harmonização: como combinar queijo Gruyère e vinhos?

A fabricação dos queijos e dos vinhos

O local em que o animal que fornece o leite para o queijo é criado diz muito sobre o sabor final do produto. Os tipos de terreno e de ração influenciam o sabor do leite, que, consequentemente, define o sabor final do queijo. Além disso, o local em que o queijo é armazenado para ser curado e os fungos que vão atuar sobre ele também fazem toda a diferença.

Já a qualidade do vinho depende, é claro, da forma de cultivo das uvas. Sabia, por exemplo, que é a casca da uva que dá o tom da cor do vinho? Também são importantes o tipo de solo, o clima e a vinificação, que inclui colheita, prensagem, fermentação, filtragem e armazenamento das uvas e do vinho.

Deu para perceber como queijos e vinhos requerem bastante cuidado para chegarem com qualidade à nossa mesa, não é mesmo? Com tantas coisas em comum, não teria como eles não se harmonizarem quando colocados lado a lado. Não é à toa que a combinação entre eles é famosa e tem conquistado paladares por todo o mundo.

Agora, vamos às dicas sobre as melhores maneiras de combinar queijos e vinhos!

Melhores combinações entre queijos e vinhos

A combinação entre queijos e vinhos é excelente, mas não é algo tão simples de acertar. Não é todo queijo que combina com qualquer tipo de vinho. Para conseguir uma harmonização perfeita, é necessário observar bem as características de cada um dos dois alimentos.

Antes de começarmos as combinações, uma informação importante! Ao contrário do que muita gente pensa, os queijos não combinam apenas com os vinhos tintos. Vinhos brancos e espumantes também têm o seu lugar ao lado dos queijos. Há quem acredite, inclusive, que a combinação fica ainda mais harmoniosa com eles!

VILLA-LOBOS CABERNET SAUVIGNON NATURELLE BRANCO MARIA VALDUGA BRUT VINTAGE 

Clique nas imagens acima e confira mais detalhes dos produtos!

Há também duas regras básicas ao servir os dois alimentos juntos:

  • Quanto mais tânico o vinho, mais duro pode ser o queijo. Lembre-se de que os taninos são encontrados em vinhos tintos e são responsáveis pelo amargor e adstringência do vinho.
  • Quanto mais acidez o vinho tiver, mais macio e cremoso o queijo

Então, para não errar, vamos às combinações mais harmoniosas entre queijos e vinhos!

1. Queijos frescos

Os queijos frescos são aqueles que, normalmente, não sofreram maturação, que é o processo de envelhecimento do queijo. Por isso, possuem um gosto mais moderado e menos aromatizado, além de serem menos salgados.

Toda essa suavidade desse tipo de queijo permite que as sutilezas e nuances do leite sejam percebidas. São exemplos de queijos frescos: ricota, muçarela, mascarpone, feta, minas fresco e o cream cheese.

E essas características devem ser levadas em consideração na hora de escolher o melhor vinho para acompanhar esse tipo de queijo. Os vinhos mais indicados são os brancos jovens e leves e também alguns tintos com as mesmas características.

Vinhos jovens das uvas Chardonnay e Sauvignon Blanc e  são boas opções para acompanhar um bom queijo fresco!

Dica: Entenda tudo sobre a uva Chardonnay

2. Queijos moles e brancos

Os queijos macios e pastosos, geralmente, são produzidos com leite cru e não pasteurizado, que é um tipo de tratamento térmico do leite. São queijos que possuem um considerável grau de umidade.

Os tipos de queijos macios mais conhecidos são o Brie, o Camembert e o Serra da Estrela. Todos eles possuem uma crosta mais dura por fora, mas são cremosos por dentro. O gosto é leve, mas à medida que ganham tempo de maturação, o sabor vai ficando mais intenso.

Para acompanhar esse tipo de queijo, nada melhor do que vinhos brancos e tintos de médio corpo, como os produzidos com a uva Gewztraminer. Os espumantes  de boa acidez também são uma excelente opção para acompanhar esse tipo de queijo.

3. Queijos suaves e amanteigados 

Se você gosta de queijos com sabor e aroma e com um tempo médio de maturação, é um apreciador dos famosos queijos suaves e amanteigados, também chamados de queijos semiduros.

Esse tipo de queijo tem como característica uma maturação lenta, o que faz que apresentem texturas firmes, mas, ao mesmo tempo, flexíveis. Além disso, são queijos fáceis de serem fatiados. Por essas características, são queijos de mesa que servem para praticamente todas as ocasiões.

Os queijos suaves e amanteigados mais conhecidos são Gouda, Maasdam, Emmental e Prato. Todos eles harmonizam bem com vinhos brancos e tintos frutados, assim como os de médio corpo. Podem eles os produzidos com uvas Pinot Noir e Merlot, sem passagem por madeira.

Dica: Uva Pinot Noir: tudo sobre uma das cepas mais elegantes do mundo

4. Queijos duros

Sabe aqueles queijos de gosto bem forte e que possuem pequenos cristais? Então, são os saborosos queijos duros, que passaram por um longo período de maturação. Alguns podem ser amadurecidos por até três anos!

E, quanto mais maduros, mais forte e picante o sabor. Ou seja, são queijos como os vinhos: quanto mais envelhecem, melhores ficam. São também pouco úmidos e fáceis de ralar.

Lembrou no famoso parmesão ralado em cima de massas? Pois ele é o exemplo mais conhecido de queijo duro, ao lado de Comté, Pecorino e Queijo Minas curado.

Para acompanhar queijos de sabor tão marcante, recomenda-se vinhos encorpados ou frutados, como Cabernet Sauvignon, Marselan, Nebiolo (uva dos Barolos) além de espumantes de longa maturação ou nature e extra brut.

GRAN RAÍZES CORTE GRAN IDENTIDADE CORTE GRAN NATURE 

Clique nas imagens acima e confira mais detalhes dos produtos!

5. Queijos azuis

Aqueles queijos bem conhecidos por manchas de bolor são os chamados queijos azuis. Eles possuem esse nome exatamente pelas manchas escuras que apresentam. São queijos macios, com sabor extremamente marcante.

Apesar de possuírem uma casca um pouco mais dura por causa do contato com o ar durante a maturação, são queijos sensíveis, que podem se desmanchar ao serem cortados.

Os mais famosos exemplos de queijos azuis são o Roquefort e o Gorgonzola, conhecidos por serem queijos nobres e sofisticados. São bons queijos para acompanhar os vinhos brancos fortificados ou doces, assim como tintos como do Porto.

Se você é um apreciador de queijos e vinhos e quer saber mais sobre as diferentes maneiras de servi-los, assine nossa newsletter! Sempre produzimos conteúdos sobre esse saboroso assunto!

Clique no banner abaixo para conhecer todos os produtos do e-commerce da Famiglia!

Conhecer todos os produtos do e-commerce da Famiglia



Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!

Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!