Guia de compra de vinhos: como não errar na escolha?


Guia de compra de vinhos: como não errar na escolha?

Comprar vinhos é sempre uma boa opção para um encontro entre amigos, um jantar a dois ou até mesmo para ser apreciado sozinho. Mas a hora de escolher um vinho pode ser trabalhosa: tipo de uva, safra do vinho, região de produção do vinho e por aí vai. São tantas coisas, não é mesmo?

Tem pessoas que até desistem de comprar vinho sozinhas porque não sabem nem por onde começar. É como se a prateleira cheia de variedade de vinhos fosse um desafio difícil de ser solucionado. Mas não é tão complicado assim. Confira!

VILLA-LOBOS CABERNET SAUVIGNON LEOPOLDINA TERROIR MERLOT CA DEL MAGRO CUSTOZA SUPERIORE DOC ARGENTO RESERVA MALBEC  MAQUIS VIOLA LEOPOLDINA TERROIR CHARDONNAY

Confira as variedades de vnhos da Famiglia Valduga. Clique nas imagens e garanta já o seu!

O que observar na hora de comprar vinhos?

Casa pessoa tem sua forma de escolher um vinho, alguns preferem pelo país de origem, outros pelas uvas e muitas vezes escolhem simplesmente pelo rótulo. 

Todas as informações de um vinho são muito importantes, porém por serem diversificadas podem sim causar um pouco de confusão ou mal entendimento. Por isso, separamos algumas dicas de ouro que vale lembrar ao se deparar com a prateleira de vinhos de uma loja ou supermercado.

NATURELLE TINTO QUINTA SÃO JOÃO BATISTA RESERVA SYRAH LATE HARVEST GRAN RAÍZES CORTE FRONTAURA DOMINIO DE VALDELACASA D.O.  ANTOINE MOUEIX AOC BORDEAUX BLANC VILLA-LOBOS CABERNET SAUVIGNON

Conheça a loja virtual da Famiglia. Clique na imagens acima e garanta já o seu vinho!

De cara com a prateleira de vinhos, e agora?

Para começar a escolher o vinho ideal, o primeiro passo é entender como o estabelecimento comercial organiza as prateleiras com os vinhos. Afinal, hoje em dia, diversas lojas, restaurantes e supermercados destinam um espaço exclusivo para a bebida. E cada um pode organizar as gôndolas de um jeito diferente.

Então, para você não ficar perdido na hora de escolher o melhor vinho, vamos listar algumas das principais maneiras que os estabelecimentos comerciais utilizam para organizar as gôndolas.

É só você chegar à loja, ir para a parte das prateleiras com os vinhos e tentar identificar o tipo de organização que foi adotado.

Com certeza, esse primeiro passo vai facilitar sua vida e te dará uma direção melhor de como começar sua busca pelo vinho ideal.

Em cada parte da gôndola, um país diferente

Você, provavelmente, já reparou que muitos supermercados separam as gôndolas com as bandeirinhas de diferentes países, não é mesmo? Pois é muito comum que os estabelecimentos comerciais organizem os vinhos pela região de origem. Ou seja, separam os espanhóis, os franceses, os brasileiros, os chilenos, os argentinos etc.

TINEDO CALA Nº01  ANTOINE MOUEIX GRAND CRU AOC ST. EMILLION  GRAN IDENTIDADE CORTE MUNDVS CHILE CABERNET SAUVIGNON  MUNDVS ARGENTINA MALBEC 

Clique nas imagens acima e confiras os vinhas nacinais e internacionais da nossa loja Virtual!

Isso acontece porque cada região dos países possuem um terroir diferente. De maneira simplificada, o terroir é uma palavra francesa, sem tradução, que remete à relação entre o espaço físico, com suas características climáticas e de solo, e as práticas enológicas utilizadas na produção de uvas específicas da região.

Os supermercados e lojas costumam organizar as garrafas por país porque o terroir de cada lugar resulta em uma expressão diferente ao vinho. Essa diferença acontece mesmo quando uma mesma uva é plantada em diferentes regiões.

Um tipo de uva por prateleira

Outra maneira de organizar a disposição dos vinhos em um estabelecimento comercial é pelo tipo de uva com a qual ele foi produzido. Essa não é a forma mais usual, mas acaba facilitando para os clientes que já têm sua uva preferida.

Claro que conhecer os principais tipos de uva também pode facilitar nessa hora. Por isso, vamos citar rapidinho 10 das mais comuns nas gôndolas de estabelecimentos comerciais:

TINTOS

  • Cabernet Sauvignon: costumam ser mais encorpados e discretamente tânicos. 
  • Merlot:  uma uva macia e com notas de ameixa, mais carnuda que a Cabernet Sauvignon, é uma uva conhecida mundialmente pelo paladar aveludado. 
  • Malbec: os vinhos provenientes dessa uva costumam ser bastante aromáticos e um leve sabor de especiarias. Normalmente são produzidos na Argentina
  • Carménère: uvas bem escuras que produzem vinhos muito encorpados, frutados, com taninos marcantes e levemente apimentados.
  • Pinot Noir: tipo delicado de uva que dá um tom suave e sofisticado aos vinhos tintos.
  • Syrah: uva estruturada com sabor levemente frutado, cor intensa e aromas de especiarias e defumado.
  • Tannat: presente em vinhos tintos, bastante encorpados e com o tanino fortemente presente, o que faz com que esses vinhos fiquem melhores com o tempo de envelhecimento.
  • Tempranillo: uva escura que produz vinhos de corpo médio, de aroma de especiarias e ervas e sabor frutado, normalmente vindos da Espanha

NATURELLE TINTO QUINTA SÃO JOÃO BATISTA RESERVA SYRAH GRAN RAÍZES CORTE FRONTAURA DOMINIO DE VALDELACASA D.O.  TINEDO CALA Nº01  MAQUIS VIOLA

Conheça nossa variedade de vinhos tintos. Clique nas imagens acima e adquira já o seu!

BRANCOS

  • Chardonnay: a uva branca mais conhecida do mundo, resulta e vinhos elegantes, frutados, normalmente com aroma e sabor de frutas tropicais. 
  • Sauvignon Blanc: de mineralidade expressiva, apresentam boa acidez e sabor levemente herbáceo.
  • Riesling: aromática e delicada, é uma uva de grande expressão mas que raramente estagia em carvalho.
  • Gewurztraminer: de ampla profundidade aromática, seu sabor é inigualável, uma uva rose que resulta em vinhos branco elegantes  e inebriantes.

CA DEL MAGRO CUSTOZA SUPERIORE DOC LEOPOLDINA TERROIR CHARDONNAY LATE HARVEST ANTOINE MOUEIX AOC BORDEAUX BLANC 

Conheça nossa variedade de vinhos brancos. Clique nas imagens acima e adquira já o seu!

Já os vinhos rosés não costumam ter uma categoria, pois não tem um volume muito expressivo. Além disso, dificilmente serão encontrados em uma única uva, já que, normalmente, são assemblagens, ou seja, uma mistura de mais de um tipo de uva. Mas essa forma de produção também não é uma regra.

A organização pelo ano de produção

A famosa safra do vinho também diz muito da qualidade da bebida. Por isso, é possível que alguns estabelecimentos comerciais optem por organizar as gôndolas de acordo com o ano de produção do vinho. A tendência é que os mais caros sejam os vinhos mais envelhecidos. Porém, como já falamos, há algumas exceções.

Esse é um tipo de organização menos usual, até porque a grande maioria dos vinhos comercializados em lojas especializadas e supermercados é mais jovem, produzida em torno de um a quatro anos antes.

Além disso, vinhos muito envelhecidos precisam de mais cuidado, como adegas climatizadas para envelhecer.

Visite agora a nossa loja virtual clicando no banner abaixo e garanta a qualidade dos vinhos da sua adega! 

Como escolher o vinho?

Bom, o primeiro passo ao entrar em um estabelecimento comercial para escolher um vinho você já sabe: identificar como o local organiza as bebidas. Mas, depois disso, ainda há um grande trabalho pela frente até identificar um bom vinho e não errar na escolha!

Há alguns aspectos importantes que você deve levar em conta na hora que se deparar com a prateleira cheia de vinhos. Vamos a eles!

Região de origem do vinho

Cada região possui um clima e um tipo de solo diferente e, por isso, produz vinhos diferentes de determinada uva. No caso das uvas Malbec, por exemplo, os argentinos são os produtores mais conhecidos. Já o Chile é um dos principais produtores de vinhos com a uva Caménère.

MUNDVS ARGENTINA MALBEC MUNDVS CHILE CABERNET SAUVIGNON  

Para facilitar, vamos falar agora, as melhores uvas dos principais países produtores de vinhos:

  • Argentina: como já falamos, dificilmente um Malbec argentino irá decepcionar. Mas nossos vizinhos também produzem bons vinhos com as uvas Cabernet Sauvignon, Syrah e Bonarda.
  • Chile: os vinhos chilenos produzidos com as uvas Caménère são conhecidos como os melhores do mundo. Além delas, os produtores chilenos fabricam bons vinhos com as uvas Cabernet Sauvignon e Syrah. A uva branca Sauvignon Blanc também tem se adaptado bem às terras chilenas.
  • Uruguai: a uva Tannat adaptou-se muito bem ao clima uruguaio e passou a ser o tipo de uva mais utilizado para a produção de vinhos no país. Além delas, o Uruguai produz bons vinhos com as uvas Chardonnay e Syrah.
  • Brasil: as terras brasileiras foram bem-sucedidas para o cultivo das uvas. Já o sul tem produzido excelentes vinhos com as uvas Cabernet Sauvignon, Chardonnay e Merlot. Além dos espumantes elaborados com Chardonnay e Pinot Noir.
  • França: os terroirs franceses produzem vinhos apreciados pelo mundo todo. É o caso dos rótulos produzidos com as uvas Cabernet Sauvignon, Merlot e Cabernet Franc. Já na região da Borgonha, o forte são as uvas ChardonnayPinot Noir.
  • Itália: dona da maior diversidade de vinhos, escolher um vinho italiano não é tão simples. É preciso saber um pouco de geografia, mas a dica é: ao noroeste - Piemonte, Alba, Asti -  são mais conhecidos pela uva Nebbiolo e Barbera. É do Piemonte que vem os famosos Barolos e Barbarescos. Se o nome da uva estiver junto com o da região, significa que é de um cultivo muito meticuloso e controlado.  Os Chiantis, feitos entre Florença e Viena também são uma escolha elegante que agrada a muitos paladares. Montalcino na Toscana por sua vez é a terra dos Brunellos, que historicamente é conhecido como o vinho dos heróis, um notável exemplar italiano. 
  • Espanha: a maior parte das uvas plantadas na Espanha é branca, como as Verdejo, Viura e Sauvignon Blanc. Mas os vinhos espanhóis mais conhecidos e adorados são os tintos. O destaque vai para a uva Tempranillo, muito cultivada no centro e no norte da Espanha.
  • Portugal: Portugal é conhecido como o país de uvas autóctones, ou seja, uvas próprias da região. Isso faz com que os vinhos portugueses sejam únicos. As uvas mais tradicionais são Albariño, Baga, Touriga Nacional e Tinta Roriz.

ARGENTO MALBEC ARGENTO SELECCION CABERNET SAUVIGNON MAQUIS LIEN YALI WILD SWAN SAUVIGNON BLANC  130 ESPUMANTE BRUT FRONTAURA APONTE RESERVA D.O. TORO  

Qual desses é o seu vinho favorito? Clique na imagem e adquira já o seu!

As regiões mais conhecidas como produtoras de vinhos geralmente possuem um órgão que fiscaliza a produção. Tal órgão exige o cumprimento de regras bastante rígidas e os produtores que as seguem têm o direito de estampar a informação no rótulo. É uma espécie de selo de qualidade do produto, que também é comum em queijos — ótimos companheiros dos vinhos!

Respeitar as regras dos órgãos regionais fiscalizadores também é um indicativo de que o vinho pode ser de boa qualidade. Existem diversas siglas, que variam muito. Confira alguns exemplos dessas siglas que podem ser observadas no rótulo das garrafas.

  • Denominación de Origen (D.O.): Espanha.
  • Appellation d'Origine Contrôlée (A.O.C): França.
  • Vins d'Appellation d'Origine Contrôlée (AOC): França
  • Denominação de Origem Controlada (D.O.C.): países de língua portuguesa.
  • Denominação de Origem Controlada e Garantida (D.O.C..G): também em países de língua portuguesa.
  • Denominazione di Origine Controllata (D.O.C.): Itália.
  • Indicazione Geografica Tipica (IGT): Itália
  • Wine of Origin (W.O.): África do Sul.
  • Geographical Units (GU): África do Sul
  • Vinho de Qualidade Produzido em Região Demarcada (VQPRD): União Europeia
  • American Viticultural Areas (AVA): Estados Unidos
  • Geographic Indications (G.I): Austrália
  • Procedência (IP): Argentina
  • Indicação Geográfica (IG): Argentina
  • Dominação de Origem Controlada (D.O.C): Argentina

Conheça todos os produtos do Grupo Famiglia Valguda!

São muitas siglas, mas pode ter certeza que os vinhos que as carregam no rótulo são produzidos com um rígido controle de qualidade. Além disso, você não precisa decorar uma por uma — até porque são várias, que vão muito além das que citamos. Basta checar no rótulo se existe algum indicativo de controle na produção.

Custo-benefício

Saber reconhecer o custo-benefício de um vinho também é uma importante habilidade na hora de escolher a bebida. Por isso, você não pode cair naquela ideia de que os vinhos caros são os melhores.

Esse é um mito que já pegou muita gente. O mais comum é que vinhos caros sejam de produtores renomados no mercado, que já ganharam prêmios e investiram bem em campanhas de divulgação.

Então, há vários produtores que ainda não conquistaram uma reputação renomada, mas que estão produzindo bons vinhos e com um custo mais baixo do que aqueles já reconhecidos.

Outro ponto é observar que vinícolas já conhecidas, muitas vezes, separam uvas premium para seus vinhos mais caros e, com o restante, produzem outros vinhos. Porém, como a técnica de produção do vinho é boa, mesmo essas outras bebidas podem ser excelentes opções.

Apesar disso, é claro que você pode desconfiar de vinhos muito baratos. Todo o processo de produção do cultivo da uva até o engarrafamento da bebida requer muito cuidado e não tem como tudo isso ser feito com custos muito baixos.

O que acontece também é que os bons vinhos foram produzidos de maneira cuidadosa, com um investimento alto na vinícola. Isso inclui contratar bons enólogos, selecionar bem as uvas e armazenar em locais adequados. Tudo isso encarece a produção e o preço é repassado ao consumidor final.

Conheça todos os produtos do Grupo Famiglia Valguda!

Graduação alcoólica

A graduação alcoólica também é outra característica que diz muito sobre o vinho. O teor alcoólico vem informado no rótulo das bebidas — algumas vezes na parte da frente, outras na parte de trás. 

No caso dos vinhos, a graduação alcoólica, geralmente, varia entre 8 e 14 GL e é informada em forma de porcentagem. A porcentagem presente no rótulo indica a quantidade de álcool em 100 litros de vinho.

O básico é saber que quanto maior o teor alcoólico do vinho, mais encorpado ele será, ou seja, mais forte será seu sabor. Já os vinhos com uma porcentagem de álcool mais baixa são mais leves e menos encorpados.

Agora, se você quer se aprofundar mais no assunto e saber muito bem o vinho que você está comprando, é importante se informar melhor sobre o papel do álcool na produção do vinho. Juntamente com o tanino e a acidez, o teor alcoólico define o sabor da bebida.

Dica: Saiba qual o papel do teor alcoólico presente no vinho!

O equilíbrio entre esses três elementos é o que garante um bom vinho, além é claro de ter que agradar o seu paladar. Um vinho com alto teor alcoólico, por exemplo, suporta também um elevado grau de acidez e de tanino. Já um vinho com alta graduação alcoólica e baixa acidez, se torna sem graça e fraco.

O teor alcoólico do vinho é gerado a partir da fermentação do açúcar e varia muito de acordo com o clima e com as condições de cultivo da uva.

A garrafa e o local onde ela está

Não adianta nada ter certeza que está comprando um vinho de qualidade, se o armazenamento dele no estabelecimento comercial não for adequado. Por isso, vale muito observar alguns aspectos da garrafa, é importante notar para não cair em uma furada:

  • Nível da bebida: se tiver um espaço muito grande entre a rolha e o líquido, pode ser um sinal de vazamento.
  • Coloração do vinho: coloque a garrafa contra a luz para tentar observar a cor do líquido. Se o vinho branco estiver muito amarelado e o tinto com uma cor acastanhada, pode ser que tenham oxidado.
  • Garrafas deitadas: se for possível, dê preferência para as garrafas de vinho que estiverem deitadas. Quando líquido entra em contato com a rolha, evita que ela resseque. Uma rolha ressecada pode deixar pedaços dentro do vinho, ao abrir a garrafa. Porém se for escolher um espumante, escolha os que ficam em pé. 
  • Rolha: o estado de conservação da rolha do vinho também é importante. A cortiça não pode estar alterada, salteada. A superfície da rolha também não pode estar acima do bico da garrafa.

Dica: Produção do vinho: como acontece a fermentação da uva?

Ocasião e tipo de refeição

Ao escolher um vinho em um estabelecimento comercial, você também deve levar em conta por qual motivo está comprando a bebida. Onde o vinho será degustado? Qual refeição ele irá acompanhar e com quem você irá apreciar?

Em dias mais quentes, por exemplo, vinhos mais leves são a melhor pedida. Para os dias mais frios, fique com aqueles mais encorpados.

Em relação aos pratos, para não errar na harmonização, siga a regra básica:

  • Vinhos tintos são versáteis e combinam perfeitamente com carnes vermelhas.
  • Vinhos brancos, sempre são uma boa pedida para acompanhar carnes brancas sem molhos muito fortes, como peixes e frutos do mar, que exigem vinhos refrescantes e elegantes.
  • Vinhos Rosés, mais tradicionais no verão, são ótimos acompanhamentos para carnes magras, como as grelhadas e assadas sem gordura. 
  • Vinhos mais doces combinam com alimentos também mais doces ou com queijos azuis.
  • Espumantes são muito versáteis, harmonizam bem com pratos variados devido a sua excelente acidez. Combinam com grelhados, risotos e massas. Possibilitam uma harmonização perfeita quando servidos com aperitivos, como queijos de massa branca.

Ainda perdido? Peça ajuda ao sommelier da casa

Não é vergonha nenhuma pedir sugestão ao sommelier do estabelecimento comercial onde você resolveu comprar seu vinho. Afinal, eles estão lá para isso mesmo: ajudar os cliente a fazer a melhor escolha dentre tantas opções.

Grande parte das lojas, restaurantes e supermercados tem uma pessoa responsável por ajudar os clientes no setor de bebidas. Os sommeliers são profundos conhecedores de vinhos e, provavelmente, foram eles mesmos que fizeram a seleção das bebidas a serem vendidas. Então, nada melhor do que consultá-los, não é mesmo?

Dica: Taxa de rolha: posso levar meu próprio vinho ao restaurante?

E, pode saber: eles adoram ser consultados e falar dos vinhos que selecionaram com tanto critério e cuidado. Então, converse com ele de forma clara e aberta. Tire suas dúvidas e explique para ele para qual ocasião está comprando um vinho. Também não importe em dizer quanto está disposto a pagar pela bebida. Tenha certeza de que o sommelier vai te dar uma boa indicação de acordo com as suas expectativas.

Onde comprar os vinhos?

Hoje em dia, é possível comprar vinhos em vários locais: restaurantes, supermercados, lojas especializadas e pela internet. Cada uma delas apresenta um sistema de compra e venda diferente e é bom ficar sabendo como lidar com cada um deles.

Supermercados

Normalmente as garrafas ficam na posição vertical e em locais não climatizados. Então, a melhor opção são os vinhos de maior giro, ou seja, de maior saída. Vinhos que ficam na vertical e em locais não climatizados por muito tempo podem perder suas características ideais.

Restaurantes

Há restaurantes que possuem uma adega com vinhos selecionados e é possível comprar só o vinho, sem consumir no estabelecimento. Nesses casos, não pense duas vezes em pedir sugestão ao sommelier da casa. Ele montou a carta de vinhos e saberá te indicar a melhor escolha.

Comprar vinhos em restaurantes pode ser uma boa opção também se você deseja comprar rótulos exclusivos, que dificilmente encontrará em lojas e supermercados comuns.

Lojas especializadas

Elas costumam ser o paraíso para os amantes de vinhos. Podem ser lojas multimarcas, de importados ou franquias de importadoras. Ou seja, guardam uma grande variedade de vinhos.

Ao entrar nessas lojas, não fique apenas no balcão da frente, onde costumam ficar os vinhos em promoção. Visite a loja toda ou vá direto para os vinhos da região ou das uvas de que mais gosta. Também não hesite em conversar  e pedir sugestões e informações aos vendedores.

Internet

Na internet é possível encontrar todo tipo de vinho e por preços variados. Uma das principais vantagens de comprar pela internet é a conveniência de não precisar sair de casa para comprar e receber o produto.

Além disso, a internet funciona como um catálogo online. Você pode fazer várias pesquisas antes de decidir por um vinho. Opiniões de consumidores, informações sobre a safra e sobre o produtor do vinho, a pontuação da bebida em relação ao custo benefício etc. Tudo isso deve ser consultado antes de realizar uma compra online.

Não é tão difícil comprar vinhos, é só ficar atento às características da bebida e, aos poucos, ir identificando aqueles que mais agradam ao seu paladar. Ou seja, basta ler com cuidado o rótulo da bebida e observar a forma como ela está armazenada que não tem erro!

Conheça todos os produtos do Grupo Famiglia Valguda!

Se você quer saber mais novidades e informações sobre o universo dos vinhos, assine nossa newsletter. O tipo de uva, a safra do vinho, a região de produção do vinho, dentre outras questões interessantes e curiosidades: falamos sobre tudo isso com os nossos leitores!




Por
14/02/2017


Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!

Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!