Espumante Cava: entenda mais sobre o espumante mais famoso da Espanha


Espumante Cava: entenda mais sobre o espumante mais famoso da Espanha

Você já deve ter ouvido alguém falar que todo champanhe é espumante, mas que nem todo espumante é champanhe. Frase clássica do mundo do vinho, a afirmação se faz verdadeira porque, como você também já deve saber, para ter a nomenclatura francesa, o produto deve ser da região homônima. Afinal, estamos falando de uma Apelação de Origem Controlada (AOC) que é das mais tradicionais e rígidas do mundo.

Mas você sabia que, além de champanhe, há outras denominações mundo afora para a bebida de Dom Perignon? Na Espanha, por exemplo, o espumante Cava é o mais famoso de todos. Ficou curioso? Acompanhe este post e descubra a história, o método de produção e todos os demais detalhes sobre esse vinho delicioso!

O que é o espumante Cava?

Originário da Catalunha, ao leste da Península Ibérica, esse vinho espumante remonta ao século XIX, quando, em 1872, foram feitas as primeiras garrafas em uma pequena cidade da província de Barcelona. Inicialmente chamada de champán ou xampany, a intenção era imitar os vinhos feitos em Champagne, na França.

Mas, com o passar dos anos, os espanhóis perceberam que seu produto tinha qualidade elevada, porém, características diferentes da bebida francesa, e encontraram na palavra cava — que significa adega ou cave — a sua melhor definição.

No entanto, a Denominação de Origem só foi instituída em 1972, quando passou a ser necessário seguir algumas normas para imprimir essa denominação nos rótulos. De acordo com a atual legislação, as zonas geográficas autorizadas englobam 106 cidades (das quais se destaca Penedés) espalhadas em sete comunidades autônomas: Catalunha, Navarra, Aragão, Rioja, Extremadura, Valência e Álava.

Apesar de toda essa abrangência, a maioria massiva da produção é catalã, especialmente da região de Penedés.

Dica: Espumante nature, extra brut, brut, seco, demi-sec e doce: quais as diferenças?

Qual o método de produção dos Cavas?

Assim como em Champagne, para a produção dos Cavas, é utilizado o método champenoise, também conhecido como tradicional. Nele, o vinho base é engarrafado com o acréscimo de leveduras e açúcar, para que a segunda fermentação (aquela que origina o gás carbônico da bebida) ocorra dentro da própria garrafa.

Uma vez realizada a fermentação, é feito o processo de remuage, que consiste em colocar as garrafas em um cavalete com o gargalo para baixo, onde durante alguns dias são giradas em 1/4 de volta, fazendo com que o sedimento decante na tampa. Feito isso, congela-se o gargalo com nitrogênio líquido e remove-se a parte sólida. Apenas depois dessas etapas é que a bebida recebe o licor de expedição e a rolha.

Além do método do elaboração ser obrigatoriamente o tradicional, para receber essa denominação, o espumante deve permanecer em contato com as leveduras por, pelo menos, nove meses após a fermentação

Que uvas são usadas no espumante Cava? 

Os Cavas são produzidos a partir de várias cepas, mas, tradicionalmente, são utilizadas uvas autóctones, ou seja, nativas da região onde o espumante é elaborado. São três as principais variedades locais:

1. Macabeo

Também chamada de Viúra, entre outros nomes, em outras partes da Espanha, é a uva branca mais popular neste país. É famosa pela sua boa concentração de acidez e perfil aromático delicado, cujos aromas mais frequentes são associados a flores, maças e amêndoas. Com certa aptidão ao envelhecimento, seus aromas evoluem para notas de caramelo e especiarias doces.

Além de sua aplicação para os espumantes, ela é muito usada em cortes com outras castas para a elaboração de vinhos tranquilos, como Malvasia e Palomino. Já na França, os blends feitos com a Macabeo costumam levar as uvas Grenache Gris e Grenache Blanc, atribuindo aos rótulos uma tonalidade dourada.

 2. Xarel-lo

Apesar de ser mais conhecida por fazer parte do espumante, essa casta é utilizada para a produção de diversos estilos de vinhos. É altamente valorizada pelos produtores espanhóis, que chegam a considerá-la uma das melhores uvas do país pela excelente acidez que agrega aos rótulos. Rica em polifenóis e com bom equilíbrio entre seus ácidos e açúcares, a Xarel-lo é a responsável pela capacidade de envelhecimento dos Cavas.

3. Parellada

Mais elegante e refinada que as outras cepas, a Parellada adiciona acidez e frescor aos rótulos. A uva atinge seu ápice quando cultivada em altitude, pois as temperaturas mais baixas favorecem a acidez natural. Além disso, essa casta precisa de mais tempo de amadurecimento para desenvolver todos os seus compostos aromáticos.

Seus perfumes são florais e cítricos. Ela ainda confere cremosidade, delicadeza e uma coloração brilhante à bebida. Nos rosados, são usadas as uvas MonastrelGarnacha

Adquira os espumantes da Famiglia Valduga no banner abaixo:
Adquira os espumantes da Famiglia

Quais as características desse espumante?

De cor amarelo limão, os Cavas podem ir de elegantes e delicados a muito encorpados. Parte disso é o método utilizado em sua produção, do qual já falamos acima. Por conta da forte incidência solar nas regiões produtoras, seu sabor e perfume são muito mais frutados. Já o inverno ameno traz docilidade às uvas, característica transferida aos rótulos.

Esse estilo traz ao nariz aromas cítricos com um toque de pera e, à boca, muito frescor. São ideais para consumir ainda jovens. Apesar da tenra idade desse espumante, ele pode apresentar três classificações:

  • Jovem: a segunda fermentação dura entre 9 e 14 meses e tem selo branco;
  • Reserva: com selo verde, a segunda fermentação leva de 15 a 29 meses;
  • Gran Reserva: sua segunda fermentação é de pelo menos 30 meses e recebe um selo preto.

Como posso harmonizar o espumante Cava?

Assim como os champanhes, esse espumante é muito versátil quando o assunto é harmonização. Isso se deve especialmente devido à alta acidez dos rótulos e à presença do gás carbônico. 

Quando jovem, ele é uma excelente companhia para canapés, entradas frias e frutos do mar. Já um Reserva ou Gran Reserva — por ter mais estrutura — combina muito bem com pratos principais à base de peixes e aves. E, para ter uma refeição completa, os rótulos Dulce ou Semi Seco — por terem maior quantidade de açúcar — são perfeitos para sobremesas doces ou frutas. 

A verdade é que o espumante Cava não perde em qualidade para os clássicos champanhes. Como você viu, eles são elaborados com o mesmo método, e o que dá a grande diferença entre eles é o terroir da região onde são produzidos e as uvas utilizadas. Cheio de frescor e vivacidade, um belo Cava surpreende aos paladares mais exigentes e é uma escolha fantástica para qualquer ocasião: seja um brinde especial, seja um simples almoço em família. 

Se você gosta da bebida de Dom Perignon, que tal conhecer um pouco mais sobre outro estilo? Descubra agora o que é o método Asti, o famoso processo de produção do espumante Moscatel!




Por
24/05/2018

Enólogo e Embaixador da Marca.


Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!

Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!