Entenda como a altitude influencia nas características das uvas


Entenda como a altitude influencia nas características das uvas

Se você é um apreciador de vinhos, já deve ter notado que alguns rótulos são bastante diferentes uns dos outros, mesmo que as bebidas tenham sido produzidas com as mesmas uvas, técnicas e na mesma região. Isso acontece porque o terroir — ou seja, o meio onde a uva é produzida e o vinho é elaborado — influencia as características da matéria-prima. Um desses fatores que fazem com que um exemplar seja tão único é a altitude da região onde as vinheiras são plantadas. 

Cada um dos fatores que atuam no resultado final de um vinho esconde muitas possibilidades e, para quem está começando a mergulhar no mundo dos vinhos, entender os motivos que geram todas essas diferenças pode ser um tanto complicado.

Pensando nisso, preparamos este post para explicar como é possível que vinhos da mesma região tenham aromas, cores e sabores distintos. Preparado? Acompanhe!

Qual é papel da altitude na produção de vinhos?

Ao longo do tempo, os produtores de vinhos que tinham suas bases em terrenos mais altos de uma região perceberam que suas vinheiras reagiam com condições bastante particulares de temperatura, luz, ar e maturação

Nessas regiões, existe uma grande amplitude térmica (diferença de temperatura entre a manhã e a noite), há uma maior intensidade de luz e de radiação ultravioleta, além de uma menor porcentagem de dióxido de carbono e oxigênio. Assim, as bebidas contam com níveis mais elevados de antocianos e taninos. 

Todas essas diferenças que são características de terroirs mais elevados dão origem a vinhos mais frescos e de maior acidez. Além disso, as altitudes ainda influenciam a temperatura do ambiente, permitindo colheitas diferenciadas.

Dica: Afinal, por que existe preconceito com vinhos suaves?

Por meio da análise e observação de cada uma das peculiaridades presentes nos terrenos mais elevados, os enólogos desenvolveram habilidades para identificar quais variedades de uva se adaptavam melhor àquelas condições. É por isso que vinhos produzidos em regiões diferentes, mas a partir de uma mesma casta podem ter aromas e sabores tão característicos e diferentes entre si. 

Alguns terroirs podem provar essas constatações e são conhecidos mundialmente por suas produções de vinhos característicos e de qualidades extremas. No velho mundo, os mais famosos são os varietais da Borgonha e os de corte ou assemblage de Bordeaux, na França. Ainda entram para a lista as regiões de Piemonte e Toscana na Itália, e Alentejo e Douro em Portugal. 

No novo mundo, o Brasil é um dos países mais afortunados, pois tem muitos terroirs conhecidos e respeitados. A Serra Gaúcha, por exemplo, é considerada uma das melhores regiões do mundo para a produção de espumantes finos e elegantes. A Serra Catarinense também é venerada por seus vinhos de altitude característicos. Lembrando que existem várias novas regiões sendo exploradas.

Como são os vinhos produzidos em elevadas altitudes?

A altitude influencia a variação de temperatura de um microclima. Isso permite que os produtores façam colheitas mais precoces ou mais tardias, a depender da safra. As regiões com grande amplitude térmica se tornam ideais para o cultivo de videiras. O calor durante o dia ajuda a uva a amadurecer corretamente, enquanto o frio presente na parte da noite faz com que a planta descanse e retenha maior acidez e frescor, além de haver interferência na qualidade aromática e na concentração de cor e estrutura do vinho resultante.

A incidência de luz afeta diretamente a quantidade de açúcar que se concentra nas uvas, dando origem a frutos mais doces e alterando as características sensoriais do vinho. No que diz respeito à quantidade de luz solar e calor fornecido à planta, as regiões podem ser divididas em regiões de clima frio e regiões de clima quente. 

Em regiões de clima frio, há predominância das uvas brancas (já que estas  se adaptam melhor a essas condições), mantendo a acidez mais elevada e o teor alcoólico mais harmonioso. Por outro lado, em regiões de clima quente, as uvas tintas se destacam, refletindo em uma acidez moderada, teor alcoólico mais elevado e maior concentração de cor.

O clima é outra grande influência no amadurecimento das uvas. Assim como todas as outras frutas, principalmente quando trata-se da incidência de chuvas, quanto menos, geralmente, melhor. Elevados índices pluviométricos durante o período de maturação da uva faz com que seus açúcares sejam diluídos e a incidência de fungos aumente, prejudicando a qualidade da matéria-prima, e consequentemente do vinho

Por isso, conhecer o clima da região fornece uma importante ideia das condições às quais as videiras estão submetidas e qual será o tipo de bebida extraído delas. 

Clique no banner e confira os vinhos da Famiglia Valduga!
Adquira os vinhos da Famiglia

Quais são os outros fatores que contribuem para o resultado final?

Uvas

As variedades de uva escolhidas para a produção do vinho atuam diretamente na qualidade e no resultado final da bebida e cada espécie tem suas próprias características. As brancas dão origem a exemplares mais refrescantes e com aromas intensos.

As tintas mais delicadas e de casca mais fina — como a Pinot Noir — formam bebidas com poucos taninos e de corpo mais leve, enquanto as variedades Cabernet Sauvignon e Tannat tendem a elaborar vinhos mais adstringentes e encorpados. 

Solo

O solo é o que fornece água e elementos nutritivos às videiras e também influencia como a temperatura e a chuva podem afetá-la. Logo, castas plantadas em diferentes tipos de solo tendem a se comportar de maneiras distintas. 

Por exemplo, solos férteis e ricos aumentam a quantidade de cachos produzidos pela videira, enquanto os solos pobres acabam limitando o rendimento e o desenvolvimento da planta. 

Dica: Saiba o que os vinhos jovens têm em comum

Práticas do enólogo

O sabor e o caráter final vinho certamente variam muito de acordo com as técnicas enológicas definidas pela vinícola produtora. Vinhos que passam por estágios em barris de carvalho ganham mais corpo e complexidade de aromas, algo que não ocorre com aqueles fermentados em tanques de inox, por exemplo. Nesse caso, os vinhos resultantes são mais frescos e frutados.

O papel do bom enólogo é entender todos os fatores anteriores relacionados ao ambiente de cultivo da uva e aplicar as práticas mais adequadas para a elaboração de vinhos que expressem fielmente as particularidades da sua região.

elaboração e produção de um bom vinho é um processo que envolve muitas variáveis e que exige profundo conhecimento sobre o local de plantio e as características das uvas escolhidas. Com toda a complexidade que pode ser extraída dessa bebida, fica fácil entender por que ela é tão adorada por todo o mundo há tantos séculos. 

Como você já conhece a influência da altitude nas características das uvas e no resultado final de um vinho, já pode aproveitar essa oportunidade para provar os aromas e sabores distintos em cada exemplar. Saúde!

Gostou deste conteúdo e quer saber mais sobre o mundo dos vinhos? Então descubra agora a influência que os barris de carvalho exercem sobre a bebida!




Por
24/04/2018

Enólogo e Embaixador da Marca.


Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!

Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!