Conheça as principais regiões vinícolas de Portugal


Conheça as principais regiões vinícolas de Portugal

Quem tem a oportunidade de conhecer as delícias portuguesas, prontamente acaba encantando-se. Seja com os famosos doces, como o Pastel de Belém, ou com o inigualável bacalhau, iguaria típica do país.

Porém, não é só pelas boas comidas que o local é conhecido: um dos menores países da Europa também é um dos maiores produtores de vinho do mundo. E, por isso, as diversas regiões vinícolas de Portugal são bastante famosas por seus vinhos de alta qualidade.

Localizado na ponta da península ibérica, as condições climáticas portuguesas são ideais para o crescimento de videiras de excelência, e cada vez mais o país se diferencia pela produção tecnológica, além de suas uvas autóctones. Conheça agora quais são as regiões portuguesas mais importantes na produção de vinho!

Alentejo

Localizado ao sul e ocupando uma porção referente a quase um terço de Portugal, a região vitivinícola do Alentejo é caracterizada por extensas planícies ondulantes, divididas em oito sub-regiões que hoje representam a maior parte dos vinhos elaborados no país, ultrapassando os 80 milhões de litros. Além disso, essa parte do país é conhecida mundialmente pela típica gastronomia e produção de azeite de oliva.

No que diz respeito aos vinhos, a maior parte proporciona aromas intensamente frutados e paladar macio e estruturado. 

Dica: Harmonização com vinhos: qual a ordem correta para servi-los?

Seu solo é basicamente composto por xisto e algumas frações de areia, ocasionando no perfeito enraizamento das plantas, boa drenagem e preservando a acidez natural da fruta, embora durante o período de maturação a região tenha muitas horas de sol. 

A tecnologia introduzida por lá nos últimos anos, tornou possível a produção de excelentes vinhos: desde tintos ricos até brancos delicados, denominados "Vinhos Regionais Alentejanos".

O legado da região fica por conta das parreiras centenárias que qualificam e valorizam os vinhos produzidos no Alentejo. As castas brancas mais abundantes ali são: Fernão Pires, Perrum, Antão Vaz, Arinto e Roupeiro. Já as tintas principais são Alfrocheiro, Alicante Bouschet, Castelão, Aragonez,Trincadeira e Touriga Nacional.

Algarve

Uma das regiões mais belas e referência em turismo, o Algarve conta com estações bem determinadas, porém seu maior trunfo são os verões longos. Ao ano são mais de três mil horas de sol, fator que favorece a plena maturação das uvas e a mínima intervenção de agroquímicos. 

Embora o Algarve seja um dos locais mais quentes do país, mas o mar ajuda a manter algumas microrregiões amenas, especialmente as localizadas ao norte, sobre as colinas panorâmicas. Desse modo, os vinhos brancos e rosés costumam ser bastante frescos e atraentes, enquanto os tintos são aromáticos e elegantes.

Os melhores vinhos costumam vir dos produtores da sub-região do Vinho Regional Algarve. Por lá, as regras de elaboração são mais flexíveis e as misturas de castas autorizadas são mais amplas e interessantes. 

As uvas brancas mais encontradas são: Malvasia Fina, Síria e Arinto. Nas castas tintas estão Castelão, Negra Mole e Trincadeira. Contudo, já podemos encontrar ótimos exemplares de Cabernet Sauvignon e Syrah, em perfeita sintonia com as uvas típicas citadas anteriormente.

Confira os produtos da Famiglia Valsuga em nossa loja online!
Adquira os vinhos da Famiglia

Dão

As vinhas do território do Dão são variadas e divididas em diversos lotes de pequenos produtores. Se estendem em diferentes altitudes, que pode ir de duzentos a mil metros acima do mar, como na Serra da Estrela.

Seu nome deriva do Rio Dão, que atravessa a região que é cercada por montanhas em todas as direções e apresenta terrenos graníticos de baixa fertilidade. As cadeias montanhosas condicionam o clima, abrigando as videiras da influência marítima e da ação direta do clima continental.

Entre as castas brancas estão a Cerceal, Arinto, Encruzado, Esgana Cão, Bical, Dona Branca, Malvasia Fina, Verdelho e Rabo de Ovelha. As tintas, por sua vez, são dominadas pelas Touriga Nacional, Jaen, Alfrocheiro, Tinta Roriz, Amaral, Rufete e Aragonez.

Douro

Essa bela região localizada ao norte de Portugal é caracterizada por encostas íngremes, precipitadas em direção ao rio Douro. Os terraços de vinhas contam com um solo de xisto e granito e clima com invernos frios, mas com verões muito secos e quentes. Esse conjunto de condições é perfeito para a maturação e produção de vinhos deliciosos.

Durante séculos, os vitivinicultores têm proporcionado ao mundo o conhecidíssimo Vinho do Porto. Embora o nome do produto refira-se a outra região portuguesa, o vinho lusitano mais famoso é nativo do Douro, onde as uvas lá são cultivadas e obrigatoriamente elabora-se o vinho.

Entre os estilos de Vinho do Porto, se destacam os jovens e frutados, como os Ruby, até os mais longevos e robustos, como os Tawny e Porto Vintage. Esse último, por exemplo, é elaborado durante as melhores safras e engarrafado depois de, pelo menos, dois anos em barril.

Essa parte do país surpreende pois além de ser uma das regiões vinícolas mais importantes do mundo, ainda preserva a tradicional prensa por pisa (método que extrai o suco das uvas com os pés). As principais uvas brancas encontradas por lá são a Malvasia Fina, Côdega, Donzelinho Branco, Gouveio, Rabigato, Esgana Cão, Viosinho e Folgazão.

Já as tintas são a Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Barroca, Tinta Roriz (Aragonez), Tinta Francisca, Tinto Cão, Tinta Amarela (Trincadeira), Mourisco Tinto, Sousão, Bastardo, Rufete e Castelão.

Dica: Como funciona o processo de evolução de um vinho?

Vinho Verde

Vinho Verde é a maior região produtora do noroeste do país, caracterizando-se por um clima frio e com bastante chuva. Os solos férteis e predominantemente de granito que abrigam as centenárias videiras são cortados por rios que fluem das montanhas.

Nessa terra densamente povoada e de solos abundantes nasceu o famoso Vinho Verde. Com características únicas e castas nativas, essa região prepara um vinho branco incomparável, sendo leve, jovem, fresco e aromático. A bebida se adéqua aos mais variados tipos de ocasião e acompanha muito bem saladas, peixes, carnes brancas, molhos cítricos, legumes, mariscos e sushi.

Fora de Portugal é comum encontrar o Vinho Verde branco, mas no país as variedades tintas e rosés são as mais frequentes. Nos restaurantes e entre os habitantes da região, a rosé é a mais pedida, pois é a combinação perfeita para acompanhar as típicas sardinhas assadas.

As uvas brancas mais características são a Alvarinho, Azal, Arinto Avesso, Trajadura e Loureiro. Enquanto as tintas são as Amaral, Alvarelhão, Espadeiro, Borraçal, Rabo de Anho, Padeiro, Vinhão e Pedral.

história da vinicultura portuguesa segue uma longa tradição, conquistando uma posição merecida pela diversidade e alta qualidade de seus vinhos. Por isso, e graças ao grande gosto dos produtores e apreciadores, estes exemplares se tornaram famosas no mundo todo.

Conhecendo as principais regiões vinícolas de Portugal, certamente é possível experimentar grandes rótulos e aproveitar essa oportunidade para estar em ótima companhia!

E você, gostou deste conteúdo? Então, siga nossas redes sociais e fique de olho em mais assuntos interessantes como este — estamos no Facebook e Instagram.




Por
30/08/2018

Enólogo e Embaixador da Marca.


Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!

Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!