Elaboração do vinho: como é feito o envase?


Elaboração do vinho: como é feito o envase?

Do cultivo da uva à prateleira do mercado, a elaboração do vinho passa por uma série de etapas extremamente importantes para a qualidade final da bebida. Como uma obra de arte, todas as etapas da vinificação são fundamentais, como o processamento da matéria-prima, fermentação alcoólica, maturação em barricas de carvalho e demais processos, até o momento de seu engarrafamento

Muitas vezes passando desapercebido, o envase correto é essencial para que a bebida de Baco seja realmente digna de agradar até os deuses. Não sabe como é feito o engarrafamento? Acompanhe este post e descubra!

O que é utilizado para envasar o vinho?

Atualmente esse processo é totalmente mecânico. Para realizá-lo, são utilizadas três máquinas: a enxaguadora, a enchedora e a rolhadora. A primeira, utilizada na higienização das garrafas, lava os recipientes com água esterilizada por microfiltração ou com ozônio. 

Já a enchedora, como você deve imaginar, é responsável por encher as garrafas com o vinho, enquanto a rolhadora veda a bebida com as rolhas de cortiça.

Além desses equipamentos, o processo da produção do vinho utiliza recipientes — a maioria é de vidro, mas também há Tetra Pak e Bag in Box  — e vedantes, que podem ser as rolhas (naturais ou sintéticas) ou as tampas screw cap.

Dica: Como as características da garrafa influenciam no vinho?

Como ocorre essa etapa da elaboração do vinho?

É relativamente simples, mas isso não significa que não exija alguns cuidados. Depois de devidamente higienizadas, as garrafas são encaminhadas para o enchimento. Esse processo começa com a retirada do oxigênio de dentro dos recipientes. Para isso, uma máquina injeta nitrogênio.

Esse processo é importante para evitar a oxidação demasiada do vinho. O contato prolongado com o oxigênio, faz com que as características sensoriais da bebida se modifiquem, em maior parte negativamente.

Por fim, as garrafas recebem as rolhas e os rótulos e podem ser encaminhadas para o mercado ou para o envelhecimento nas adegas.

Quais os tipos de vedação usados?

Diversos são os vedantes que podem ser utilizados. Os mais tradicionais são as rolhas de cortiça, mas há outros tipos. Confira:

Rolha de aglomerado

Feita de pequenos pedaços de cortiça unidos por uma cola especial, é mais barata que a rolha tradicional. Por ter elasticidade e durabilidade menor, costuma ser utilizada em vinhos que devem ser consumidos jovens.

Rolha sintética

Também utilizada em vinhos mais jovens, sua durabilidade é de aproximadamente 5 anos. São mais acessíveis e não correm o risco de serem contaminadas TCA (tricoloanisol, que causa mau cheiro).

Rolha de cortiça

Adotada como padrão de vedação desde o século XVII, a cortiça é um material natural extraído da casca do sobreiro, uma árvore muito encontrada em Portugal. Tem grande longevidade, permeabilidade e elasticidade. Apesar dessas vantagens, é bastante vulnerável ao TCA.

Adquira os vinhos da Famiglia Valduga no banner abaixo:
Adquira os vinhos da Famiglia

Screw cap

Também conhecida como tampa de rosca, essa vedação começou a conquistar espaço a partir da produção australiana. É constituída de uma tampa metálica com interior coberto por um plástico que impede a entrada do oxigênio e tem sido usada com grande sucesso em diversos países.

Viu como essa etapa, bem como os materiais utilizados, é fundamental para a elaboração do vinho de qualidade? Quando o envase não é seguido à risca, a qualidade da bebida pode ficar comprometida. Por isso esse processo é levado tão a sério pelas vinícolas. Afinal, ninguém quer que o cliente tenha uma experiência ruim, mas sim extremamente alegre e prazerosa. 

Assine nossa newsletter e acompanhe o que há de mais importante no mundo do vinho!




Por
17/05/2018

Enólogo e Embaixador da Marca.


Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!

Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!